Home » campeonatos » Eredivisie 2011/2012

Eredivisie 2011/2012

Logo_Eredivisie11

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Campeonato: Eredivisie 2011/2012 (Holanda)
– Número de Equipas: 18
– Jogos Disputados: 306
– Pódio: 1º AFC Ajax | 2º Feyenoord | 3º PSV
– Zona de Despromoção: 16º VVV-Venlo (PO) | 17º De Graafschap (PO) | 18º Excelsior (D)
– Melhores Marcadores: Bas Dost 34J/32G | Luuk de Jong 31J/25G | Sanharib Malki 33J/25G
– Melhor Ataque: AFC Ajax – 93 Golos Marcados
– Melhor Defesa: AZ Alkmaar – 35 Golos Sofridos
– Melhor Jogador: Dries Mertens (PSV)
– Jogador Revelação: Luciano Narsingh (SC Heerenveen)
– Equipa Sensação: SC Heerenveen
– Equipa Desilusão: FC Groningen
– Grau de Competitividade: Médio-Alto
– Principais Mercados de Importação: Belga, Nórdico e Sul-Americano.
– Principais Mercados de Exportação: Rússia, Portugal e Itália.
– Risco de Apostas no Mercado: Baixo a Moderado
– Prós do Mercado: Óptimo mercado de formação com jogadores devidamente acompanhados e trabalhados nas suas diferentes dimensões: pessoais, sociais e desportivas. Processos e «timings» de transição para os quadros das equipas principais bem definidos. Condições de cobertura perfeitas. Um paraíso para qualquer «scout» que se preze.
– Contras do Mercado: Abordagem ao jogo com características demasiado próprias e inerentes à cultura futebolística holandesa – primazia dada à versatilidade -, fazendo com que alguns dos seus jogadores aquando do processo transição para mercados que pedem outro tipo de responsabilidade táctica, revelem carências na «eficácia posicional» exigidas no mercado de acolhimento.

 

11 X 11Equipa BaseProspectosRadar
football formations

 

* Todos os jogadores devem ter idade igual ou inferior a 25 anos à data do início do respectivo campeonato.

 

* Todos os jogadores devem ter tempo total de utilização não inferior a 720 minutos ao longo do respectivo campeonato.

 

Equipa Base: Prevalência dada a questões como eficácia, relevância de acções individuais para o sucesso das respectivas equipas ao longo do campeonato e nível de preparação numa óptica de inclusão em mercados/equipas com grau de competitividade superior relativamente àquele em que se encontram no momento.

 

Prospectos: Prioridade dada a factores como idade, potencial e margem de progressão numa óptica de inclusão a médio-prazo em mercados/equipas com grau de competitividade superior relativamente àquele em que se encontram no momento.

mihaylov13004
 Nome: Nikolay Mihaylov
 Nacionalidade: Búlgara
 Idade: 28/06/1988 (24 Anos)
 Posição: Guarda-Redes
 Clube: FC Twente
 
 
 
Overview: Internacional AA pela Bulgária, Nikolay Mihaylov é um guardião que se destaca pela sua presença – 1.94/86 – à qual consegue aliar boa velocidade de reacção e reflexos.
Filho de Borislav Mihaylov, antigo guarda-redes da Selecção Búlgara, Nikolay formou-se no Levski Sofia, transferindo-se para o Liverpool em 2007. Sem espaço na equipa inglesa, acabou emprestado ao Twente da Holanda onde vem confirmando nas últimas temporadas todo o seu potencial.
Executando defesas com grau de dificuldade alta, sabendo utilizar os pés para colocar passes curtos e médios ou força de braços para colocar lançamentos manuais médios e longos, Nikolay Mihaylov é nos dias que correm um dos melhores guarda-redes a actuarem na Eredivisie.
Controlando espacialmente a baliza com a sua envergadura e sabendo colocar-se entre os postes, revela também predicados a nível da antecipação e leitura de jogo, saindo muitas vezes para dar cobertura aos seus defesas centrais em situações de maior aperto.
Com boa reacção ao choque, comprimento de braços e impulsão, Mihaylov consegue dar resposta com eficácia à maioria das situações de perigo aéreo nas imediações da sua área, ainda que por vezes algumas precipitações ou distracções o levem a ficar «mal na fotografia».
Aos 24 anos e com uma longa carreira à sua frente vai fazendo por merecer desafios maiores do que aqueles que o FC Twente pode proporcionar actualmente.
vanderwiel
 Nome: Gregory van der Wiel
 Nacionalidade: Holandesa
 Idade: 03/02/1988 (24 Anos)
 Posição: Lateral Direito
 Clube: AFC Ajax
 
 
 
Overview: Descoberto muito cedo pelo Departamento de Prospecção do AFC Ajax, Gregory Van der Wiel, que passou ainda pelo Harleem em regime de empréstimo com o objectivo de evoluir e crescer no plano mental, tornou-se recentemente em mais um dos infindáveis casos de sucesso produzidos nas escolas dos «gondenzonen».
Fisicamente disponível no vaivém constante sobre o flanco direito, tecnicamente capaz para em rápida condução em progressão, movimentação 1×2 ou arriscando lances de um para um conferir profundidade ao momento atacante da equipa, Van der Wiel revela-se essencialmente um lateral de vocação ofensiva.
Capaz no cruzamento e no passe curto e médio – por vezes ainda perde algumas posses de forma desnecessária por decisões mal ponderadas – Van der Wiel é um lateral tipicamente holandês, conseguindo grande frequência de aproximações à área contrária em que também pode aplicar o seu bom remate de média-distância.
A nível defensivo e embora nem sempre se revele disciplinado do ponto de vista posicional, consegue através da sua boa velocidade de reacção e poder de antecipação efectuar desarmes com eficácia.
Internacional AA pela Holanda, Gregory Van der Wiel é já neste momento uma certeza para o futuro do futebol da «laranja mecânica».
alderweireld
 Nome:
Toby Alderweireld
 Nacionalidade:
Belga
 Idade:
02/03/1989 (23 Anos)
 Posição:
Defesa Central | Defesa Direito
 Clube:
AFC Ajax
 
 
 
Overview: Descoberto em 2004 pelo Ajax quando ainda actuava pela formação do Germinal Beerschot da Bélgica, Toby Alderweireld afirma-se nos últimos tempos como um dos verdadeiros patrões da defesa do clube holandês.
Fisicamente disponível e com boa presença – 1.86/81 -, determinado e dotado de velocidade de reacção, definindo os seus tempos de entrada no corte com competência na maioria das ocasiões, Alderweireld revela capacidade no desarme simples e orientado, utilizando igualmente o seu bom sentido posicional e poder de antecipação para alcançar preciosas intercepções em momentos de maior aperto.
Dentro de um estilo de defesa-central – também pode pisar como defesa-direito – tipicamente holandês, Toby participa nos primeiros momentos de saída organizada da equipa, denotando capacidade na condução em progressão e bons predicados a nível do passe médio e longo.
Presente no jogo aéreo, não apenas no plano defensivo como também subindo às áreas contrárias para dar sequência a lances de bola parada ofensivos, o Internacional AA Belga denuncia igualmente bons argumentos a nível da potência e precisão de remate de média-distância.
Com 23 anos e uma boa margem de progressão à sua frente, Toby Alderweireld é um projecto belga de futuro que começa a pedir desafios maiores do que aqueles que a Eredivsie consegue oferecer.
vertonghen
 Nome: Jan Vertonghen
 Nacionalidade: Belga
 Idade: 24/04/1987 (24 Anos)
 Posição: Defesa Central | Defesa Esquerdo | Médio Defensivo
 Clube: AFC Ajax
 
 
 
Overview: Descoberto pelo Ajax em 2000, anos antes de Toby Alderweireld, também ao serviço da formação do Germinal Beerschot da Bélgica, Jan Vertonghen – que na temporada 2006/2007 esteve em regime de empréstimo ao serviço do RKC Waalwijk – afirma-se desde então como um dos melhores defesas-centrais de toda a Eredivisie.
Com versatilidade para desempenhar igualmente as funções de médio-defensivo ou defesa-esquerdo, Vertonghen destaca-se sobretudo pela sua presença personalizada, forte e disponível do ponto de vista físico – 1.89/79 -, o Internacional AA Belga é um defesa de vários predicados que consegue aliar à sua competência no momento defensivo, bravura, coragem e qualidade técnica para sair a jogar ou arriscar investidas às imediações das áreas contrárias com o objectivo de criar superioridades e desequilíbrios nas defensivas adversárias.
Com uma óptima velocidade de reacção e boa definição de tempos de entrada no corte, Vertonghen revela-se um elemento preponderante no último reduto da sua equipa, conseguindo desarmes simples ou intercepções orientadas extremamente valiosas.
Presente no jogo aéreo não apenas no plano defensivo como também ofensivo quando sobe até às áreas contrárias para dar sequência a lances de bola parada, Jan possui ainda a particularidade de ser um especialista na execução de livres centrais, aplicando a sua poderosa média-distância com o seu pé esquerdo para provocar estragos nas balizas adversárias.
Aos 24 anos, Jan Vertonghen é jogador já feito para brilhar pela alta roda do futebol europeu durante os próximos tempos.
buttner
 Nome: Alexander Buttner
 Nacionalidade: Holandesa
 Idade: 11/02/1989 (23 Anos)
 Posição: Lateral Esquerdo | Médio Esquerdo | Extremo Esquerdo
 Clube: Vitesse
 
 
 
Overview: Formado nas escolas do Ajax mas pertencente aos quadros do Vitesse desde 2005, Alexander Buttner tem-se revelado nos últimos tempos como um dos bons valores a actuarem na Eredivisie.
Como lateral mas com versatilidade no seu jogo para ocupar igualmente posições mais adiantadas sobre o flanco esquerdo, Buttner é essencialmente um lateral de propensão ofensiva, muito útil no apoio aos momentos ofensivos mas algo indisciplinado do ponto de vista defensivo, correndo alguns riscos que por vezes se revelam excessivos.
Fisicamente disponível sem ser extremamente forte – 1.74/75Alexander evidencia velocidade de reacção para em momentos defensivos tentar levar a melhor em lances de um para um e poder de aceleração acompanhado de condução progressiva, movimentações 1×2 ou capacidade no drible para provocar desequilíbrio e participar no momento ofensivo.
Dotado de boa técnica de cruzamento e remate com o seu pé esquerdo, Buttner assume-se também como um especialista na execução de lances de bola parada.
Com 23 anos e uma longa margem de progressão pela frente, Alexander Buttner é nome para acompanhar durante os próximos tempos.
strootman
 Nome: Kevin Strootman
 Nacionalidade: Holandesa
 Idade: 13/02/1990 (23 Anos)
 Posição: Médio Defensivo | Médio Centro | Médio Esquerdo
 Clube: PSV Eindhoven
 
 
 
Overview: Revelado pelo Sparta de Roterdão e com uma breve passagem pelo FC Utrecht ainda antes de ser contratado pelo PSV Eindhoven, Kevin Strootman assumiu-se definitivamente nesta temporada 2011/2012 como um dos jogadores mais valiosos a actuarem na Eredivisie.
Constituindo-se essencialmente como «nº8» organizador, Strootman revela grande inteligência nos seus movimentos sem bola, fazendo aproximações ao último terço de forma extremamente eficaz.
Dotado de capacidade técnica e visão para efectuar passes médios ou longos, qualidade na sua condução em progressão e consciência táctica, Kevin Strootman é um médio de vários predicados com presença e influência nos diferentes momentos de jogo.
Dono de um bom poder de antecipação e boa capacidade física – 1.86/78 -, o Internacional AA Holandês apresenta bons argumentos a nível das suas intercepções orientadas e desarmes simples, procurando logo de seguida e de forma construtiva orientar as transições ofensivas da sua equipa. Sem ser um jogador explosivo, capaz de rasgar e criar desequilíbrios com os seus arranques, Kevin possui boa velocidade de raciocínio e execução.
Com um pé esquerdo de valor, Strootman pode assumir também a execução de livres laterais – em que aplica os seus argumentos a nível do cruzamento – ou centrais – em que aplica o seu remate de média-distância suficientemente calibrado no binómio potência/precisão ainda que nem sempre consistente.
Aos 23 anos e um longo caminho pela frente, Kevin Strootman é actualmente um dos nomes de quem mais se espera para o futuro do futebol da «laranja mecânica».
rasmus elm
 Nome: Rasmus Elm
 Nacionalidade: Sueca
 Idade: 17/03/1988 (23 Anos)
 Posição: Médio Defensivo | Médio Centro | Médio Direito | Médio Esquerdo
 Clube: AZ Alkmaar
 
 
 
Overview: Revelado no Kalmar FF sueco, Rasmus Elm chegou à Holanda em 2009 para representar o AZ Alkmaar. Actuando como organizador em zonas mais centrais ou descaído sobre um dos flancos como interior, Elm destaca-se pela sua visão de jogo, capacidade de condução e colocação de passes curtos, médios e longos.
Especialista na execução de livres laterais – em que aplica os seus bons argumentos no cruzamento – ou centrais – em que aplica os seus bons predicados a nível do remate de média-distância -, Elm possui ainda a particularidade de conseguir através da utilização eficaz da sua força de braços transformar lançamentos de linha lateral em autênticos cruzamentos para a área.
Destro, o Internacional AA Sueco apresenta disponibilidade física – 1.84/75 -, ainda que não seja um jogador robusto. Com poder de antecipação e suficientemente disciplinado tacticamente, consegue harmonizar as transições defesa-ataque-defesa da sua equipa com eficácia, gerindo e estando presente nos diferentes momentos de jogo.
Devendo evitar cometer faltas que por vezes se revelam desnecessárias, assim como, ponderar melhor algumas das suas decisões nos seus momentos com bola, Rasmus Elm é aos 23 anos um projecto de valor para o futuro do futebol sueco.
narsingh
 Nome: Luciano Narsingh
 Nacionalidade: Holandesa
 Idade: 13/09/1990 (21 Anos)
 Posição: Extremo-Direito | Extremo-Esquerdo
 Clube: SC Heerenveen
 
 
 
Overview: Grande revelação desta Eredivisie 2011/2012, Luciano Narsingh foi um dos jogadores mais eficazes da competição conseguindo 8 tentos e 22 assistências para golo.
Constituindo-se como um dos grandes obreiros da boa campanha do SC Heerenveen nesta edição da Eredivisie, Narsingh destaca-se por ser um extremo de bons recursos técnicos, dentro de uma linhagem tipicamente holandesa, conseguindo criar desequilíbrios em lances de um para um ofensivos com relativa facilidade e alternando movimentações de procura da linha de fundo para utilizar a sua boa técnica de cruzamento com movimentações interiores em que procura linhas de remate e de ataque ao golo.
Versátil e ofensivamente dinâmico, sente-se melhor sobre a faixa direita, mas consegue ocupar igualmente a esquerda com bons índices de aproveitamento. Especialista na execução de lances de bola parada laterais, proporciona muitas assistências para golo e torna-se peça chave em toda a manobra ofensiva da equipa.
Ainda que por vezes exagere no adorno e na exploração de iniciativas individuais, perdendo alguma objectividade, assim como, nem sempre faça o devido acompanhamento e cobertura posicional exigidas noutro tipo de enquadramentos competitivos, Luciano Narsingh é aos 21 anos mais um dos bons extremos revelados pelo futebol holandês para acompanhar durante os próximos tempos.
eriksen
 Nome: Christian Eriksen
 Nacionalidade: Dinamarquesa
 Idade: 14/02/1992 (20 Anos)
 Posição: Médio Centro | Médio Ofensivo Centro
 Clube: AFC Ajax
 
 
 
Overview: Contratado pelo AFC Ajax ao Odense Boldklub em 2008 num dos seus mercados de importação favoritos como o dinamarquês, Christian Eriksen é actualmente uma das maiores promessas do plantel principal dos «Filhos dos Deuses».
Internacional AA pela Dinamarca, Eriksen destaca-se pela eficácia das suas movimentações serpenteantes à entrada do último terço, aplicando depois a sua visão e qualidade na condução em progressão para criar desequilíbrios no balanceamento defensivo adversário, fazendo jogo para e com os seus companheiros ou atacando ele próprio a baliza através do seu bom remate de média-distância.
Inteligente e dinâmico – ainda que nem sempre suficientemente agressivo – Christian conseguiu nesta Eredivisie 2011/12 alcançar o «score» de 7 tentos e 19 assistências para golo, tornando-se um dos jogadores mais eficazes de toda a competição.
Longe de ser um portento físico – 1.77/70Eriksen consegue disfarçar esse «handicap» do seu jogo com a sua boa capacidade de antecipação e velocidade para escapar a marcações de contacto directo com os seus oponentes. Com capacidade técnica para executar com os dois pés – preferência pelo direito -, o internacional dinamarquês revela ainda argumentos a nível do passe curto e médio, assim como no cruzamento, virtudes que consegue utilizar com eficácia na hora da execução de lances de bola parada.
Aos 20 anos e com uma longa margem de progressão a ser aproveitada e devidamente materializada, Eriksen é o novo príncipe do futebol dinamarquês para acompanhar bem de perto nos tempos vindouros.
mertens
 Nome: Dries Mertens
 Nacionalidade: Belga
 Idade: 06/05/1987 (24 Anos)
 Posição: Extremo Esquerdo | Extremo Direito
 Clube: PSV
 
 
 
Overview: Formado nas escolas do Anderlecht, pouco aproveitado pelo Gent, Dries Mertens transferiu-se em 2006 para o AGOVV da segunda divisão holandesa, sendo contratado pelo FC Utrecht em 2009 para já no início desta temporada ser adquirido em conjunto com Kevin Strootman pelo PSV Eindhoven e afirmar-se definitivamente no panorama futebolístico holandês ao conquistar o registo – ainda que tendo em conta a realidade holandesa – de 21 golos marcados e 16 assistências.
Muito rápido e ágil, Mertens opta maioritariamente por um estilo de jogo curto a 1×2 toques ou arrisca iniciativas individuais utilizando o seu virtuosismo no drible para provocar desequilíbrios. Destro, actua maioritariamente sobre a esquerda do ataque, embora tenha versatilidade para aparecer igualmente sobre a direita, alternando movimentações fora-dentro com outras dentro-fora, dando largura ao ataque sem que o seu futebol se ressinta demasiado a nível da sua verticalidade e profundidade.
Especialista na execução de lances de bola parada laterais – em que faz uso dos argumentos a nível do cruzamento – e centrais – fazendo uso da sua boa média distância -, Dries Mertens revela-se de forma consistente um elemento de referência em toda a dinâmica ofensiva da equipa.
Fisicamente frágil – 1.69/64 -, faz uso do seu baixo centro de gravidade para escapar a marcações fisicamente mais exigentes através do seu poder de aceleração em espaço curto e sentido de antecipação.
Suficientemente competente a nível posicional e na cobertura em profundidade quando a sua equipa está sem bola, o Internacional AA Belga revela-se como uma das figuras do futebol do seu país, «ofuscado» apenas por nomes com a dimensão de Eden Hazard.
bas dost
 Nome: Bas Dost
 Nacionalidade: Holandesa
 Idade: 31/05/1989 (22 Anos)
 Posição: Ponta de Lança
 Clube: SC Heerenveen
 
 
 
Overview: Revelado pelo Emmen da segunda divisão holandesa, passando posteriormente pelo Heracles onde se evidenciou, Bas Dost chegou ao Heerenveen no início de 2010, afirmando-se esta temporada como o goleador máximo da Eredivisie e ajudando sobremaneira à boa campanha efectuada pela sua equipa com os 32 golos alcançados na sua conta pessoal.
Fisicamente imponente – 1.92/85 -, Bas Dost destaca-se pela presença de área que oferece à sua equipa, revelando instinto, sentido de oportunidade e antecipação para apanhar os defesas contrários desprevenidos e fazer balançar as redes adversárias.
Estando longe de ser um regalo para os olhos do ponto de vista técnico, Dost destaca-se essencialmente pela eficácia dos seus movimentos, possuindo ainda um bom balanceamento quer a nível da potência de remate com o seu pé direito – bom marcador de grandes penalidades -, quer de cabeceamento, fazendo uso da sua estatura para se tornar uma referência do ponto de vista aéreo.
Não sendo um elemento de grande versatilidade ou virtuosismo, capaz de criar desequilíbrios em lances de um para um ofensivos ou aplicar acelerações curtas capazes de «rasgarem» as defensivas adversárias, Bas Dost consegue ser suficientemente rápido na forma como entende e aproveita os espaços.
Tornando-se útil no jogo de costas para a baliza, segurando posses e aguardando aproximações de companheiros para em passe curto ou médio «fazer jogo», Bas Dost é um homem-golo holandês para seguir de perto durante os próximos tempos.
esteban-alvarado
 Nome: Esteban Alvarado
 Nacionalidade: Costa-Riquenha
 Idade: 28/04/1989 (22 Anos)
 Posição: Guarda-Redes
 Clube: AZ Alkmaar
 
 
 
Overview: Mais reconhecido nos últimos tempos pelo triste episódio protagonizado em jogo da Taça Holandesa frente ao Ajax quando reagiu a uma agressão de um invasor de campo, Esteban Alvarado é um Guarda-Redes excêntrico que contraria de certa forma uma postura mais contida e sóbria de um estilo de guardião moderno e europeu.
Descoberto e contratado pelo AZ Alkmaar ao Deportivo Saprissa da Costa Rica em 2010, Esteban iniciou o seu percurso pela Holanda evidenciando alguns erros típicos de um Guarda-Redes jovem habituado a uma exigência competitiva completamente distinta daquela em que se encontra enquadrado actualmente.
Conseguindo aliar presença física – 1.93 – e boa velocidade de reflexos, Esteban é um guardião capaz de efectuar defesas com grau de dificuldade de resposta média-alta. Dotado de boa reacção ao choque, comprimento de braços e altura de salto, o já Internacional AA pela Costa Rica revela bons argumentos na resolução de situações aéreas, ainda que por vezes decisões pouco ponderadas e falhas de concentração por ora o tornem demasiado susceptível nesse tipo de acções.
Com voz de comando na forma como orienta a sua defesa, o jovem guardião costa-riquenho pode melhorar a nível do seu jogo de pés sob pressão, assim como, melhorar a definição dos seus tempos de abordagem em situações de um para um, evitando precipitações e apresentando um maior grau de eficácia quando sai da linha de baliza.
Considerado pela FIFA o melhor guardião no Campeonato do Mundo Sub-20 em 2009 e contribuindo sobremaneira para o AZ Alkmaar ser a defesa menos batida desta Eredivisie 2011/12, Esteban Alvarado procura aos 22 anos a sua afirmação definitiva pelo Velho Continente.
janmaat
 Nome: Daryl Janmaat
 Nacionalidade: Holandesa
 Idade: 22/07/1989 (22 Anos)
 Posição: Lateral Direito
 Clube: SC Heerenveen
 
 
 
Overview: Formado no Feyenoord e contando ainda com uma breve passagem pelo ADO Den Haag, Daryl Janmaat foi contratado em 2008 pelo SC Heerenveen, o seu clube actual.
Constituindo-se a par de Narsingh e Bas Dost como um dos elementos de maior destaque na equipa de Heerenveen nesta edição da Eredivisie 2011/12, Janmaat é um lateral-direito que se evidencia pela sua disponibilidade e resistência física – 1.85/70 -, fazendo o vaivém constante sobre o flanco com dinâmica e bom equilíbrio de participação nos momentos de defesa e de ataque.
Suficientemente sólido no plano defensivo, com boa velocidade de reacção para entrar no desarme ou fazer intercepções – embora por vezes algumas distracções e precipitações nas suas decisões sob pressão o levem a expor algumas fragilidades -, Janmaat é uma lateral-direito que se destaca sobretudo pelas suas aproximações ou abordagens ofensivas. Não sendo um virtuoso no drible, Daryl torna-se difícil de parar quando ganha balanço e consegue atingir a sua boa velocidade de ponta, aplicando maioritariamente movimentações 1×2 ou a sua rápida condução em progressão para conseguir oferecer profundidade ao momento ofensivo da equipa.
Capaz no passe curto e médio, assim como a nível do cruzamento – pode trabalhar melhor a consistência do seu cruzamento em progressão -, Janmaat assume-se ainda como executante de situações de bola parada laterais e centrais – aplicando a sua forte média-distância de pé direito nestas últimas.
Suficientemente presente em disputa aérea – embora nem sempre coloque a agressividade ideal nos duelos – e denotando competência em momentos de cobertura aos seus defesas-centrais, Daryl Janmaat é aos 22 anos um lateral-direito com margem de progressão assinalável que deve ser aproveitada e devidamente materializada durante os próximos tempos.

de vrij
 Nome: Stefan de Vrij
 Nacionalidade: Holandesa
 Idade: 05/02/1992 (20 Anos)
 Posição: Defesa Central | Defesa Direito
 Clube: Feyenoord
 
 
 
Overview: Descoberto ainda menino pelo Departamento de Prospecção do Feyenoord ao serviço dos praticamente anónimos do vv Spirit, Stefan de Vrij revela-se nos últimos tempos como um dos bons valores saídos do laboratório de talentos da turma de Roterdão.
Aliando resistência e disponibilidade física – 1.89/82 – com boa capacidade de reacção, espírito de liderança, velocidade de ponta e sentido de antecipação, de Vrij é um defesa central – também pode ocupar a posição de defesa direito, preferencialmente em linha de 3 – de vários predicados.
Efectuando desarmes simples ou intercepções de relevância, cobrindo eficazmente desposicionamentos temporários dos seus companheiros, Stefan consegue complementar a sua preponderância no momento defensivo com alguns argumentos na sua condução em progressão, colocação de passes médios e longos com o seu pé direito e participação nas primeiras fases de construção das saídas organizadas da sua equipa.
Ainda que por meio da sua estatura o internacional jovem holandês evidencie facilidade nos duelos aéreos, nem sempre coloca a agressividade ideal nas disputas, deixando segundas bolas em zonas que por vezes se podem revelar perigosas.
Devendo evitar igualmente algumas distracções ou precipitações momentâneas que podem sair demasiado caras e originar situações de desconforto, Stefan de Vrij é aos 20 anos um defesa central de enorme margem de progressão a ser explorada e materializada durante os próximos tempos.
tomas kalas
 Nome: Tomás Kalas
 Nacionalidade: Checa
 Idade: 15/05/1993 (18 Anos)
 Posição: Defesa Central | Defesa Direito
 Clube: Vitesse Arnhem (Emp. Chelsea FC)
 
 
 
Overview: Descoberto e contratado pelo Chelsea FC ao Sigma Olomuc em 2011 e emprestado posteriormente pela equipa inglesa a um dos seus clubes-satélite, o Vitesse Arnhem, Tomás Kalas demonstrou ao longo desta Eredivisie 2011/12 as razões pelas quais é visto como um dos maiores talentos do futebol checo em emergência.
Podendo ocupar a zona central da defesa ou sobre a faixa direita, desempenhando as funções de lateral, Kalas destaca-se sobretudo por conseguir aliar disponibilidade física – 1.84 – a um bom poder de antecipação, determinação e espírito de combatividade.
Eficaz a providenciar desarmes simples, desarmes orientados ou intercepções, o internacional jovem pela República Checa torna-se um jogador difícil de bater em lances de um para um defensivos, demonstrando agilidade e boa velocidade de reacção para conseguir entrar no corte e evitar males maiores para a sua equipa.
Suficientemente competente no jogo aéreo, evidenciando bom poder de impulsão e reacção ao choque, dotado de rápida condução em progressão, força de braços para efectuar lançamentos laterais para a área e razoável eficácia na colocação de passes médios e longos com o seu pé direito, Tomás Kalas é um defesa de vários atributos, que gerindo melhor algumas distracções e precipitações típicas de um jovem de 18 anos, tem tudo para brilhar ao mais alto nível durante a próxima década.

Jetro Willems of the Netherlands looks o
 Nome: Jetro Willems
 Nacionalidade: Holandesa
 Idade: 30/03/1994 (17 Anos)
 Posição: Lateral Esquerdo
 Clube: PSV
 
 
 
Overview: Após a grave lesão de Erik Pieters, Jetro Willems foi conquistando paulatinamente o seu lugar definitivo na equipa do PSV ao longo desta Eredivisie 2011/12. Campeão Europeu Sub-17 pela Holanda em 2011, Willems foi contratado pela turma de Eindhoven em Agosto do mesmo ano ao Sparta de Roterdão, o seu clube de formação.
Destacando-se sobretudo pelo seu poder de aceleração, disponibilidade física – 1.70/67 – para fazer o tradicional vaivém sobre o flanco, agilidade, condução e capacidade no cruzamento em progressão, Jetro Willems assume-se como um lateral-esquerdo de vocação essencialmente ofensiva.
Necessitando de ganhar maior consistência do ponto de vista defensivo, sobretudo a nível posicional, o internacional jovem holandês apresenta bons argumentos no plano da sua velocidade de reacção, tornando-se um elemento difícil de bater em lances defensivos de um para um.
Optando maioritariamente por um jogo de passe curto e médio acompanhado de movimentação 1×2 ou arriscando o drible para conquistar profundidade nos momentos ofensivos, Willems apresenta também boa força de braços para através de lançamentos de linha lateral colocar bolas longas na área adversária.
Podendo e devendo melhorar os índices de eficácia e consistência no remate de média-distância com o seu pé esquerdo, assim como, evitar algumas distracções e precipitações típicas de um jovem de apenas 17 anos, Jetro Willems é um caso de precocidade forçada com grande margem de progressão para seguir bem de perto ao longo dos próximos tempos.

Jordy-Clasie
 Nome: Jordy Clasie
 Nacionalidade: Holandesa
 Idade: 27/06/1991 (20 Anos)
 Posição: Médio Defensivo | Médio Centro
 Clube: Feyenoord
 
 
 
Overview: Formado nas escolas do Feyenoord e contando com uma breve passagem em regime de empréstimo pelo Excelsior Roterdão na época transacta, Jordy Clasie foi uma das maiores revelações desta Eredivisie 2011/12.
Conhecido também como «o Xavi holandês», Jordy destaca-se por conseguir conciliar tarefas de recuperação com capacidade de condução em progressão, velocidade, visão de jogo e eficácia no passe curto, médio ou longo, garantindo dinâmica e agilidade aos processos de transição da sua equipa.
Não sendo um portento físico – 1.69 – coloca intensidade no seu jogo por forma a garantir combatividade ao seu futebol, conseguindo também através de uma boa noção espacial, definição de tempos e capacidade de impulsão conquistar alguns duelos aéreos frente a oponentes fisicamente mais robustos.
Tecnicamente capaz para aparecer nas imediações do último terço, inteligente nas suas movimentações sem bola, antecipando situações defensivas em que evidencia eficácia no desarme simples, desarme orientado ou intercepções, Jordy revela-se um «box-to-box» de vários recursos e predicados que não tem medo de assumir o jogo nos seus diferentes momentos.
Especialista na execução de lances de bola parada laterais – em que aplica os seus argumentos a nível do cruzamento – e centrais – recorrendo ao seu relativamente bem calibrado remate de média distância – a jeito do seu pé direito, Jordy é aos 20 anos um projecto com «Clasie» que merece ser acompanhado bem de perto.

tadic
 Nome: Dusan Tadic
 Nacionalidade: Sérvia
 Idade: 20/11/1988 (23 Anos)
 Posição: Extremo Esquerdo | Extremo Direito | Médio Ofensivo
 Clube: FC Groningen
 
 
 
Overview: Descoberto pelo FC Groningen em 2010 quando ainda actuava pelo FK Vojvodina da Sérvia, Dusan Tadic tem-se afirmado nos últimos tempos como um dos bons valores da «armada verde-e-branca».
Preferencialmente sobre a faixa esquerda mas com versatilidade para ocupar quer a faixa direita, quer a «zona 10», disfarçando-se muitas vezes como uma espécie de 2º avançado, Tadic revela atributos técnicos a nível do drible e velocidade para em lances de um para um espalhar o pânico pelas defensivas contrárias e provocar desequilíbrios.
Dono de uma forte e calibrada média-distância com o seu pé esquerdo, visão e capacidade no cruzamento, astuto em muitas das suas movimentações, Dusan Tadic atingiu o registo nesta Eredivisie 2011/12 de 7 tentos e 10 assistências para golo, um pouco abaixo dos números da sua época de estreia na Holanda, mas que importam relembrar igualmente: 7 golos e 18 assistências.
Fisicamente equilibrado – 1.81/72 -, o Internacional Sérvio que se destaca pela dinâmica que oferece ao momento ofensivo da sua equipa, constitui-se ainda como especialista na execução de lances de bola parada laterais ou centrais.
Podendo evitar em certos momentos alguns adornos excessivos no seu jogo e consequente perda de objectividade de algumas das suas acções individuais, Dusan Tadic é actualmente um dos bons valores do futebol sérvio a espalhar a sua arte por palcos holandeses.
djuricic
 Nome: Filip Djuricic
 Nacionalidade: Sérvia
 Idade: 30/01/1992 (20 Anos)
 Posição: Médio Ofensivo Centro | Médio Ofensivo Esquerdo | 2º Avançado
 Clube: SC Heerenveen
 
 
 
Overview: Outra das revelações na boa campanha efectuada pelo SC Heerenveen ao longo desta Eredivisie 2011/12 foi Filip Djuricic, criativo descoberto e contratado pela turma holandesa em 2010 aos sérvios do Radnicki Obrenovac.
Actuando preferencialmente nas «zonas de 10» mas confundindo-se facilmente como uma espécie de 2º avançado, Djuricic deixou ao longo da temporada pormenores relevantes que carecem de acompanhamento tendo em vista a materialização e efectivação nos próximos tempos de todo o potencial técnico demonstrado.
Dono de uma boa condução em progressão, virtuosismo no drible, visão e capacidade no passe curto, médio ou longo, proporcionando dinâmica e versatilidade às movimentações ofensivas da equipa já dentro do último terço, Filip apresentou bons índices de eficácia a «encaixar» últimos passes ou a atacar ele próprio a baliza através da sua boa média-distância – preferência pelo pé direito, mas conseguindo recorrer igualmente ao esquerdo.
Veloz e inteligente na forma como raciocina o jogo e aproveita os espaços, fisicamente equilibrado – 1.81 -, Djuricic constitui-se ainda como especialista na execução de lances de bola parada centrais, laterais ou grandes penalidades.
Acabando a temporada com o registo de 10 golos e 12 assistências, fica por um lado a expectativa de como o seu talento irá evoluir nos próximos tempos e por outro a certeza de que a classe do seu jogo merece, desde já, toda a atenção e consideração dos adeptos do bom futebol. Notória a melhoria nos diversos parâmetros aquando da primeira abordagem feita aqui na temporada 10/11.
ola john
 Nome: Ola John
 Nacionalidade: Holandesa / Liberiana
 Idade: 19/05/1992 (19 Anos)
 Posição: Extremo Esquerdo
 Clube: FC Twente
 
 
 
Overview: Refugiado na Holanda desde os 2 anos da idade, fugindo da Guerra Civil Liberiana que custou a vida ao seu pai, Ola John evidenciou-se nesta Eredivisie 2011/12 como uma das boas revelações do campeonato holandês.
Pertencente aos quadros do Twente, Ola destaca-se pelo seu poder de aceleração, capacidade no drible e técnica de cruzamento, actuando maioritariamente sobre a faixa esquerda do ataque mas com versatilidade para pisar também sobre a direita – aparentemente menos eficaz.
Especialista na execução de bolas paradas laterais, Ola John obteve nesta Eredivisie 2011/12 o registo de 8 golos e 15 assistências, números que apesar de terem sido alcançados no contexto competitivo holandês, têm relevância e devem ser tidos em conta naquilo que é a confirmação e afirmação do seu potencial técnico, algo que de resto o jovem internacional holandês de origem liberiana já havia dado a entender nas participações esporádicas que efectuou ao serviço da equipa principal do Twente na época transacta.
Destro, mas conseguindo recorrer ao pé esquerdo, Ola alterna movimentações em que procura oferecer profundidade lateral para tirar o cruzamento com movimentos fora-dentro em que tenta alcançar linhas de remate e de ataque ao golo – pode melhorar o índice de consistência do seu remate de média-distância.
Ainda em estado bruto e a necessitar de ser lapidado, evitando adornos ou decisões que o fazem perder alguma objectividade no seu jogo, Ola John é um talento holandês com cumplicidade africana para continuar a acompanhar nos próximos tempos.
luuk de jong
 Nome: Luuk de Jong
 Nacionalidade: Holandesa / Suíça
 Idade: 27/08/1990 (21 Anos)
 Posição: Avançado | Ponta de Lança
 Clube: FC Twente
 
 
 
Overview: Descoberto pelo Twente em 2009 quando ainda actuava pelo De Graafschap, Luuk de Jong vem-se afirmando nos últimos tempos como uma das unidades mais valiosas dos «Reds».
Irmão de Siem de Jong – jogador pertencente aos quadros do AFC Ajax -, com quem emigrou da Suíça para a Holanda ainda em tenra idade, Luuk destaca-se sobretudo pela intencionalidade e eficácia das suas acções nas imediações do golo, ora finalizando, ora proporcionando situações aos seus companheiros.
Fisicamente resistente – 1.88/85 -, o irmão mais novo dos de Jong patenteia bons índices de aproveitamento no cabeceamento – seja em situações de finalização, seja de amortecimento/passe para os seus companheiros -, assim como, velocidade de execução e inteligência para com bom sentido de antecipação e instinto surpreender os seus adversários.
Destro por natureza mas conseguindo recorrer ao pé esquerdo, Luuk alcançou nesta Eredivisie 2011/12 o registo de 25 golos e 9 assistências, números que embora enquadrados no contexto desportivo holandês, devem ser levados em conta.
Longe de ser um Ponta de Lança tradicional à espera de bola para facturar, sabendo através do seu futebol de costas para a baliza segurar posses ou «fazer jogo» com os seus companheiros, o jovem internacional holandês deixou ao longo deste campeonato apontamentos relevantes que importam continuarem a ser trabalhados e devidamente materializados.
Possuindo ainda a personalidade necessária para assumir a execução de grandes penalidades, Luuk de Jong é um projecto moderno de «9» holandês para seguir de perto durante os próximos anos.
guidetti
 Nome: John Guidetti
 Nacionalidade: Sueca
 Idade: 15/04/1992 (19 Anos)
 Posição: Avançado | Ponta de Lança
 Clube: Feyenoord (Emp. Manchester City)
 
 
 
Overview: Revelado para o Mundo do futebol ao serviço do Brommapojkarna sueco, John Guidetti foi contratado pelo Manchester City ainda aos 16 anos, passando posteriormente por um período de empréstimo ao seu clube de formação, pelo Burnley e actualmente no Feyenoord, onde esta temporada conseguiu finalmente estabilizar o seu jogo e afirmar-se no panorama profissional.
Destacando-se sobretudo pela sua técnica de remate – bem calibrado a nível de potência/precisão -, capacidade física – 1.85/79 – e instinto na hora de fazer-se ao golo, Guidetti foi um dos destaques desta Eredivisie 2011/12 até um vírus algo misterioso o ter atacado e obrigado a terminar a temporada mais cedo.
Contando até ao momento da sua paragem forçada com 20 golos e 8 assistências, o internacional jovem sueco foi umas das peças fundamentais do Feyenoord no Vice-Campeonato alcançado pela turma de Roterdão.
Esforçado e determinado, Guidetti apresenta velocidade de execução, inteligência na movimentação e a agressividade necessárias para criar problemas às defensivas contrárias em situações de finalização.
Constituindo-se como executante de lances de bola parada centrais ou descaídas a jeito do seu pé direito, assim como, de grandes penalidades, John Guidetti é aos 19 anos um misterioso projecto sueco para continuar a acompanhar e entender até que ponto será devidamente gerido pelos ingleses do Manchester City.

holanda
 Equipa: AFC Ajax
 Posição: 1º: 76 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Alto.
 Detecções: Ricardo van Rhijn; Vurnon Anita; Ismail Aissati; Nicólas Lodeiro; Aras Ozbiliz; Lorenzo Ebecilio; Davy Klaassen; Siem de Jong; Jody Lukoki; Kolbeinn Sigthórsson; Miralem Sulejmani.
 
 
 
Short Notes: Conquistando o seu 31º título nacional, o AFC Ajax foi o grande campeão desta Eredivisie 2011/12. Habituado a revelar ao Mundo talentos maioritariamente saídos dos seus conceituados laboratórios de futebol, referência esta temporada para:
Ricardo van Rhijn, lateral-direito, fisicamente disponível e resistente – 1.83 – no vaivém constante sobre o flanco, dotado de rápida condução em progressão e velocidade de ponta, apoiando eficazmente o momento ofensivo da equipa , possuindo técnica de cruzamento e capacidade de passe, ainda que do ponto de vista defensivo precise de continuar a trabalhar melhor os seus índices de consistência;
Vurnon Anita que aos 22 anos e do «alto» dos seus 1.68 se destaca pela sua versatilidade, capacidade de aceleração e agilidade, ocupando ao longo da temporada posições tão distintas como as de lateral-esquerdo, lateral-direito e médio defensivo e deixando a sensação que e é em zonas intermediárias garantindo rapidez no transporte, suficiente capacidade de recuperação e velocidade aos momentos de transição onde tem maior margem de progressão a ser explorada;
Ismail Aissati criativo que também pode aparecer sobre uma das faixas, dotado de bons recursos técnicos, garantindo dinâmica ofensiva ao último terço, rápido e ágil, consegue provocar desequilíbrios com relativa facilidade através do seu virtuosismo no drible e qualidade da sua condução em progressão, sendo ainda especialista na execução de bolas paradas;
Nicólas Lodeiro criativo uruguaio que – e apenas – de forma intermitente deixou algum ar da sua graça, continuando a denotar graves dificuldades na adaptação aos padrões de exigência europeus e consequente escassez na materialização efectiva do potencial técnico pelo qual é reconhecido;
Aras Ozbiliz, Lorenzo Ebecilio e Jody Lukoki projectos saídos das escolas de formação do Ajax dentro de uma linhagem típica de extremos holandeses, muito rápidos, tecnicamente capazes no drible e cruzamento, com olho na baliza, conferindo profundidade ofensiva mas pouco disciplinados nos momentos sem bola da sua equipa;
Davy Klaassen que cometeu a proeza de um minuto após a sua estreia na Eredivisie ter conseguido facturar, dentro de um estilo de avançado que relembra – embora salvaguardando as devidas distâncias – Dennis Bergkamp, quer pela forma como trata a bola, quer pelo tipo de movimentos e posicionamento que assume durante o jogo;
Siem de Jong colocado por vezes a actuar como avançado-centro mas a denotar características mais propícias à ocupação da «zona 10» ou quando muito de «2º avançado», tecnicamente capaz, dono de um bom remate de média-distância, inteligente na movimentação e evidenciando qualidade na sua condução em progressão – peca apenas por nem sempre manter os seus índices de concentração, agressividade e intensidade devidamente calibrados;
Miralem Sulejmani que até ao seu joelho dar de si – propensão para lesões que tem marcado muito a afirmação definitiva do seu futebol – demonstrou as razões pelas quais foi uma das maiores apostas do Ajax nos últimos anos que o contratou ao Heerenveen em 2008, actuando sobre uma das faixas ou como segundo avançado, tecnicamente dotado, com virtuosismo no drible, rapidez e astúcia na movimentação, aparece ou cria muitas vezes situações de finalização em que por norma denota qualidade de execução – marcou 11 golos até ser obrigado a parar a dez jornadas do término do campeonato; e por fim Kolbeinn Sightórsson, «9» islandês que se destaca sobretudo pela sua presença, técnica de remate e instinto matador, acabando por ser outro dos azarados da temporada no que respeita a lesões, mas que ainda assim, conseguiu deixar a sua marca nesta Eredivisie 2011/12 ao facturar por sete ocasiões.
holanda
 Equipa: Feyenoord
 Posição: 2º: 70 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Médio.
 Detecções: Bruno Martins Indi; Tonny de Vilhena; Anass Achahbar; Jerson Cabral.
 
 
 
Short Notes: Conseguindo alcançar a sua melhor classificação desde a temporada 2000/01, o Feyenoord foi o Vice-Campeão desta Eredivisie 2011/12, ficando a apenas seis pontos do primeiro lugar. No plantel da turma de Roterdão destaque para:
Bruno Martins Indi, defesa central esquerdino que também pode desempenhar as funções de lateral-esquerdo, nascido no Barreiro há 20 anos mas emigrado na Holanda desde criança, Bruno destaca-se sobretudo pela sua disponibilidade e resistência física – 1.81 -, velocidade de reacção e determinação, precisando, contudo, de definir melhor os seus tempos de entrada aos lances e evitar algumas precipitações no seu futebol;
Tonny de Vilhena, Campeão Europeu Sub-17 em 2011 e grande figura da final que deu o título à Holanda, fez apenas alguns minutos ao serviço do Feyenoord nesta Eredivisie 2011/12 mas é, sem dúvida, um projecto para acompanhar de perto nos próximos tempos, com versatilidade para desempenhar as funções de médio centro, criativo ou aparecer sobre uma das faixas como médio ofensivo/extremo, capaz na colocação de acelerações, com visão, boa condução em progressão e possuindo virtuosismo no drible para criar desequilíbrios, Vilhena destaca-se, também, por ser especialista na execução de lances de bola parada laterais em que aplica a sua boa técnica de cruzamento ou centrais em que aplica a sua boa técnica de remate de média-distância com o seu pé esquerdo;
Anass Achahbar, avançado de 18 anos, projecto marroquino-holandês, podendo sair de uma das faixas – preferencialmente a direita – ou desempenhar as funções de segundo avançado, móvel, rápido e ágil, confere dinamismo ao último terço, ainda que precise de encontrar um melhor equilíbrio do seu índice de agressividade por forma a materializar consistentemente todo o bom potencial técnico que deixa transparecer; e por fim Jerson Cabral, com 21 anos e de ascendência cabo-verdiana, colado sobre uma das faixas, preferencialmente a esquerda, alternando movimentações em profundidade lateral para aplicar o cruzamento com diagonais em que procura linhas de remate, rápido, colocando acelerações com relativa facilidade, dotado de virtuosismo no drible e técnica de cruzamento, peca apenas por nem sempre ser eficaz no capítulo da definição, assim como, por perdas de objectividade originadas por excessos cometidos no adorno das suas jogadas.
holanda
 Equipa: PSV Eindhoven
 Posição: 3º: 69 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Alto.
 Detecções: Erik Pieters; Zakaria Labyad; Georginio Wijnaldum; Jeremain Lens; Tim Matavz; Memphis Depay
 
 
 
Short Notes: Alcançando o último lugar do pódio nesta Eredivisie 2011/12, o PSV foi uma das melhores equipas do campeonato. Na turma de Eindhoven referência para:
Erik Pieters, defesa central transformado em lateral-esquerdo contratado pelo PSV ao FC Utrecht em 2008 e que foi um dos azarados do campeonato no que respeita a lesões, ele que se destaca sobretudo pela disponibilidade e resistência física – 1.84 – que oferece ao flanco esquerdo, assim como, por ser suficientemente competente no plano defensivo e possuir uma rápida condução em progressão, sempre útil nos momentos de lançamento de transições ofensivas;
Zakaria Labyad, marroquino-holandês versátil que pode aparecer sobre uma das faixas ou actuar como médio ofensivo disfarçado de 2º avançado, rápido, móvel e ágil, colocando acelerações com facilidade e dotado de virtuosismo no drible para provocar desequilíbrios, ainda que deva evitar excessos no adorno das suas jogadas que o levam a perder alguma objectividade no seu futebol;
Georginio Wijnaldum e Jeremain Lens jogadores versáteis, aparecendo sobre uma das faixas ou por zonas mais centrais, disfarçando-se facilmente de segundos avançados, tecnicamente muito capazes, virtuosos no drible e com facilidade na criação de desequilíbrios, aliando boa capacidade para assistir os seus companheiros e qualidade de execução no momento da finalização;
Memphis Depay , 18 anos, projecto dos quadros de formação do PSV e Campeão Europeu Sub-17 em 2011 pela Selecção Holandesa, versátil, podendo aparecer sobre uma das faixas ou como 2º avançado, rápido e móvel, cria facilmente desequilíbrios através do seu virtuosismo no drible e capacidade de aceleração, alternando movimentos em que procura profundidade lateral para tirar o cruzamento, com movimentos fora-dentro em que procura a baliza, sendo ainda especialista na execução de lances de bola parada laterais ou centrais em que tenta aplicar a sua calibrada média-distância de pé direito; e por fim Tim Matavz, «9» esloveno, esguio – 1.88/82 -, evidencia-se pelo seu instinto na hora de finalizar, capacidade de remate e cabeceamento, assim como, pela inteligência e eficácia dos seus movimentos, ainda que não seja ou um jogador para grandes «rasgos» ou criação de desequilíbrios em lances de um para um – facturou por 14 ocasiões nesta Eredivisie 11/12, com 3 dos tentos a serem alcançados ainda ao serviço do FC Groningen de onde se transferiu para o PSV.
holanda
 Equipa: AZ Alkmaar
 Posição: 4º: 65 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Médio
 Detecções: Nick Viergever; Adam Maher; Roy Beerens; Jozy Altidore; Johann Gundmundsson; Ruud Boymans
 
 
 
Short Notes: Conquistando o 4º lugar nesta Eredivisie 2011/12 e constituindo-se como a defesa menos batida do campeonato, destaque na equipa de Alkmaar para:
Nick Viergever, defesa central com versatilidade para pisar como lateral-esquerdo ou ainda como médio defensivo, fisicamente resistente, sem ser forte – 1.82/72 -, dotado de velocidade de reacção, sentido de antecipação e capacidade no desarme, o esquerdino apresenta argumentos na forma como participa nos primeiros momentos de construção para saída organizada, denotando bons índices de eficácia na sua condução em progressão e na colocação de passes médios e longos, ainda que por vezes se exceda e tome decisões demasiado arriscadas, expondo o equilíbrio da sua retaguarda em demasia;
Adam Maher, marroquino-holandês, grande revelação do AZ Alkmaar e uma das maiores surpresas de toda a Eredivisie 2011/12, sobre o meio campo, como «8» organizador, não sendo fisicamente imponente – 1.74/73 -, garante razoável poder de recuperação ao jogo da equipa sem perder demasiada agilidade, velocidade e rapidez nas transições, dotado de visão de jogo, capacidade no passe médio e longo e inteligente nas suas aproximações sem bola à área contrária, possui ainda virtuosismo no drible e qualidade na sua condução em progressão para provocar desequilíbrios – é igualmente executante de lances de bola parada com o seu pé direito aplicando a sua técnica de cruzamento, precisando, contudo, de trabalhar a nível da consistência do seu remate de média-distância;
Roy Beerens, 24 anos, actuando preferencialmente sobre a faixa direita, muito rápido e com capacidade na colocação de acelerações, procura desequilíbrios utilizando o seu virtuosismo no drible, alternando movimentações em que confere profundidade lateral com outras em que procura linhas de baliza, ainda que o seu futebol nem sempre evidencie a objectividade ideal por forma a conseguir materializar consistentemente todo o potencial técnico que lhe é reconhecido; Johann Gundmundsson, extremo-esquerdo islandês de 21 anos, com versatilidade para pisar também sobre a direita ou como 2º avançado, rápido, fisicamente disponível, alternando movimentações em profundidade lateral com diagonais em que visa a baliza, capaz no remate e suficientemente competente na forma como provoca desequilíbrios, deixa boas sensações mas parece continuar a faltar algo no seu jogo que o permita catapultar alguns dos bons pormenores técnicos que denota para um patamar de materialização, regularidade e consistência superiores;
«Jozy» Altidore, «9» norte-americano/haitiano de 22 anos que tardava em confirmar algumas das boas referências com que vinha rotulado dos Estados Unidos, parece ter encontrado, finalmente, no futebol holandês, o seu palco de afirmação, fisicamente disponível e robusto – 1.85/72 -, dono de boa técnica de remate e de cabeceamento em momento de finalização, conseguindo executar com os dois pés – preferência pelo direito -, actuando dentro de um estilo de avançado mais fixo ou mais solto, denotando interessante coordenação e velocidade para as suas características físicas, deixa no ar a dúvida de como poderá reagir num eventual salto para outros patamares competitivos – fez 16 golos nesta Eredivisie 2011/12, contudo, não raras vezes, deixou alguns golos feitos por marcar; e por fim Ruud Boymans o grande azarado da turma de Alkmaar, contratado pelo AZ ao VVV-Venlo onde tinha deixado boas indicações na época transacta, o avançado-centro holandês viu-se a contas com lesões que o impediram de conseguir – num momento vital de afirmação definitiva do seu jogo – corresponder às expectativas.
holanda
 Equipa: SC Heerenveen
 Posição: 5º: 64 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Médio
 Detecções: Jeffrey Gouweleeuw; Rajiv van La Parra; Oussama Assaidi.
 
 
 
Short Notes: Na equipa sensação desta temporada, alcançando um meritório 5º lugar final, referência – a juntar aos já abordados noutras áreas deste artigo – para:
Jeffrey Gouweleeuw, defesa central de 20 anos com versatilidade para ocupar igualmente a posição de médio-defensivo, fisicamente forte e disponível – 1.87 -, com presença aérea, agressivo e rápido a entrar no corte, denotando capacidade na antecipação, desarmando ou interceptando, capaz na condução em progressão e apresentando razoável eficácia na colocação de passes médios e longos, participa nos primeiros momentos em saída organizada, devendo, contundo, evitar decisões demasiado arriscadas que por vezes podem colocar em causa o equilíbrio do último reduto;
Rajiv van La Parra , 20 anos, extremo holandês formado no Feyenoord e contratado no início da temporada aos franceses do Caen, actuando preferencialmente sobre a direita do ataque mas com versatilidade para pisar igualmente na esquerda ou desempenhar funções de segundo avançado, rápido, móvel e ágil, fisicamente disponível – 1.81/72 -, colocando acelerações e proporcionando dinâmica ao último terço, criando desequilíbrios com o seu virtuosismo no drible e tendo ainda capacidade para a execução de lances de bola parada laterais, aplicando a sua boa técnica de cruzamento com o pé direito – deve melhorar os índices de consistência do seu remate e evitar perdas de objectividade originadas por alguns excessos no adorno das suas iniciativas individuais; e por fim Oussama Assaidi marroquino-holandês que vem denotando nos últimos tempos razões suficientes para merecer , pelo menos, uma oportunidade que o permita materializar num enquadramento superior as boas indicações dadas, actuando preferencialmente sobre a esquerda do ataque mas com versatilidade para ocupar a faixa direita ou assumir-se como segundo avançado, Assaidi destaca-se pelo seu virtuosismo no drible, rapidez e capacidade de aceleração, provocando grandes desequilíbrios, alternando movimentações de profundidade lateral para aplicar a sua boa técnica de cruzamento, com diagonais e procura de espaços centrais/interiores para atacar o golo através do seu bom remate de pé direito – 10 golos e 7 assistências foi o seu registo esta temporada, com algumas lesões pelo meio a não o deixarem contribuir mais vezes para o sucesso da equipa.
holanda
 Equipa: FC Twente
 Posição: 6º: 60 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Médio.
 Detecções: Douglas Texeira; Roberto Rosales; Leroy Fer; Emir Bajrami; Glynor Plet; Nacer Chadli.
 
 
 
Short Notes: Vice-campeão na temporada passada, o FC Twente não foi além do sexto posto final nesta Eredivisie 2011/12. Por entre as individualidades dos «tukkers», referência para:
Douglas Texeira, defesa-central brasileiro descoberto e contratado pelo Twente em 2007 quando ainda actuava pelo Joinville, fisicamente forte e robusto – 1.92/80 -, dominando o jogo aéreo não apenas em situação defensiva como em subidas para dar sequência a lances de bola parada ofensivos, muito agressivo a entrar no corte – o que por vezes o faz cometer faltas desnecessárias -, com sentido posicional e velocidade de ponta minimamente satisfatória – ainda que denote algumas dificuldades na marcação a avançados de baixo centro de gravidade e dotados de aceleração ou drible curto -, assume o jogo em primeiras fase de construção para saída organizada, transportando ou tentando colocar passes médios e longos – por vezes ainda se excede e corre alguns riscos desnecessários;
Roberto Rosales, sobre o flanco direito como lateral ou interior, rápido e disponível para fazer o habitual vaivém, torna-se mais perigoso no momento ofensivo do que consistente do ponto de vista defensivo e ainda que apresente velocidade de reacção e capacidade no desarme, posicionalmente nem sempre oferece as garantias necessárias, ofensivamente, sobe até às imediações da área contrária para fazer o acompanhamento através da sua rápida condução em progressão, movimentação 1×2 ou arriscando o drible, denotando técnica de cruzamento e providenciando assistências com eficácia para os seus companheiros – 8 esta temporada;
Leroy Fer, dentro de um estilo «box-to-box», completo, fisicamente forte – 1.88/79 -, consegue aliar poder de antecipação e recuperação com visão, velocidade e capacidade não apenas na condução/transporte como no passe médio e longo, fazendo jogo com os seus companheiros e proporcionando dinâmica, harmonia e qualidade às transições da sua equipa, utilizando ainda a sua inteligência nos movimentos sem bola para aparecer às entradas do último terço e fazer a assistência ou atacar ele próprio a baliza através do seu bom remate de média distância – preferência pelo pé direito mas conseguindo jogar com o esquerdo;
Emir Bajrami, médio ofensivo sueco de origem kosovar contratado em 2010 pelo Twente ao Elfsborg, aparece preferencialmente sobre a faixa direita mas pode pisar também sobre a esquerda, fisicamente equilibrado e resistente – 1.80/73, rápido, dono de uma boa condução em progressão e denotando virtuosismo suficiente no drible para provocar desequilíbrios, Emir alterna movimentações em que procura aplicar a sua boa técnica de cruzamento com outras para visar linhas de baliza a jeito do seu bom remate de pé esquerdo, constituindo-se ainda como executante de lances de bola parada laterais ou centrais – nem sempre consegue deixar garantias a nível da sua consistência exibicional e materialização efectiva do seu bom potencial técnico;
Glynor Plet, avançado centro esguio – 1.94/83, contratado pelo Twente a meio da temporada ao Heracles onde vinha deixando boa impressão, destacando-se sobretudo pelo seu instinto finalizador – marcou 12 esta temporada, ainda que tenha deixado igualmente alguns por marcar -, assim como, pela astúcia das suas movimentações apesar do seu perfil físico – teve dificuldades em dar continuidade no Twente ao futebol que vinha demonstrando no Heracles, ficando no ar a dúvida de como irá ser gerido nos próximos tempos; e por fim Nacer Chadli, belga-marroquino de 22 anos que aparece preferencialmente sobre a esquerda mas que também pode pisar sobre a direita ou como médio ofensivo centro disfarçando-se de 2º avançado, destacando-se sobretudo por conseguir aliar disponibilidade e resistência física – 1.87/80 -, com coordenação e velocidade nos seus movimentos, tecnicamente capaz no drible, cria desequilíbrios com relativa facilidade, alternando movimentações em profundidade lateral para aplicar o cruzamento com diagonais interiores para aplicar a sua forte e calibrada média-distância de pé direito, virtudes do seu futebol que também utiliza na hora da marcação de livres laterais ou centrais.
holanda
 Equipa: Vitesse Arnhem
 Posição: 7º: 53 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Médio.
 Detecções: Guram Kashia; Patrick van Aanholt; Renato Ibarra; Marco van Ginkel; Davy Propper; Jonathan Reis; Mike Havenaar; Wilfried Bony; Valeri Kazaishvili; Giorgi Chanturia.
 
 
 
Short Notes: Depois do investimento georgiano efectuado no clube com o objectivo de conquistar a Eredivisie dentro do prazo de 3 anos, o Vitesse conseguiu alcançar um meritório 7º lugar final nesta edição 2011/12. Com um plantel constituído maioritariamente por valores em emergência no panorama futebolístico europeu, afastando-se de uma política de contratações de «estrelas-feitas», referência para as seguintes individualidades:
Guram Kashia, defesa-central georgiano de 24 anos com versatilidade para ocupar a posição de lateral-direito, fisicamente disponível e resistente – 1.85/75 -, com rapidez na reacção e agilidade suficientes para efectuar intercepções ou desarmes providenciais, consegue assumir as primeiras fases de saída organizada da equipa arriscando colocação de passes médios e longos ou situações de condução em progressão para aproveitar a sua boa velocidade de ponta e criar superioridades no meio-campo contrário – presente no jogo aéreo, aparece com eficácia a dar sequência a lances de bola parada ofensivos;
Patrick van Aanholt, lateral-esquerdo holandês de 21 anos emprestado pelo Chelsea FC, chegou a meio da temporada e deixou alguns bons apontamentos, fisicamente disponível para efectuar o vaivém constante sobre o flanco, rápido na sua reacção em situações de um para um defensivas, revela-se suficientemente capaz no capítulo do desarme/intercepção, participando depois com eficácia no momento ofensivo utilizando a sua aceleração e virtuosismo no drible para conferir profundidade e aplicar a sua boa técnica de cruzamento ou arriscar o remate de média distância com o seu pé esquerdo – deve encontrar um melhor equilíbrio ao nível da sua concentração, evitando igualmente algumas precipitações ou falhas de posicionamento que por vezes podem ter influência na consistência defensiva que proporciona;
Renato Ibarra, extremo/médio direito equatoriano de 21 anos, dotado de grande capacidade de aceleração à qual alia virtuosismo no drible, consegue criar desequilíbrios com relativa facilidade, dinâmico, móvel e ágil, escapa às marcações alternando movimentações em que confere profundidade lateral para aplicar a sua técnica de cruzamento com diagonais interiores em que procura linhas de remate para atacar o golo através do seu remate de média-distância com o pé direito – sendo ainda especialista na execução de lances de bola parada, alcançou apenas 2 golos e 2 assistências esta temporada mas deixou apontamentos técnicos relevantes que deve materializar com maior consistência e regularidade durante os próximos tempos;
Marco van Ginkel, médio-centro holandês de 19 anos, com versatilidade para contrair entre um estilo de maior contenção ou desdobrar e disparar para o ataque, fisicamente resistente – 1.86/70 -, competente ao nível da sua condução em progressão, apresenta argumentos ao nível da sua visão de jogo, passe médio-longo e remate de média-distância com o seu pé direito, sendo ainda eficaz em tarefas de recuperação e fazendo aproximações às zonas de decisão com intenção – executante de lances de bola parada, nem sempre apresentou os índices de agressividade e consistência exibicional ideais, mas deixou sinais relevantes para futura monitorização na expectativa de que consiga materializar de forma mais constante muitos dos bons apontamentos do seu jogo;
Davy Propper, criativo holandês de 20 anos com versatilidade para pisar também como médio-centro, fisicamente equilibrado – 1.85/72 – e tecnicamente capaz, confere qualidade e visão ao nível do passe médio e em situações de condução em progressão, aparecendo nas zonas de decisão para fazer a assistência ou atacar a baliza através da sua boa média-distância – preferência pelo pé direito mas conseguindo recorrer ao esquerdo -, executante de lances de bola parada, peca apenas por nem sempre conferir a agressividade e consistência ideais ao seu futebol, aspecto que deve trabalhar durante os próximos tempos por forma a materializar com maior regularidade o seu potencial;
Jonathan Reis, avançado brasileiro de 22 anos, chegou à Holanda rotulado de estrela mas uma má postura fora dos relvados e uma lesão grave logo trataram de o fazer cair do céu, com versatilidade para actuar em zonas mais centrais ou descaído sobre uma das faixas, revela a habitual «ginga» brasileira no seu futebol, rápido e dotado de virtuosismo no drible, aparece com frequência e instinto em zonas de finalização em que por norma revela qualidade na execução – destro mas conseguindo recorrer ao pé esquerdo, especialista na execução de lances de bola parada, denota claramente que o potencial técnico está presente no seu jogo, faltando agora uma postura e estrutura mental condigna que o permita materializar de forma efectiva e regular tudo o que de bom – ainda – pode oferecer;
Mike Havenaar, avançado-centro japonês de 24 anos, chegou a meio da temporada e logo tratou de deixar bons apontamentos – 5 golos e 2 assistências -, fisicamente esguio – 1.94/81 -, oferece dimensão ao jogo ofensivo da equipa, conquistando muitas bolas em zonas mais afastadas do golo e aparecendo depois em situações de finalização com instinto para utilizar a sua boa técnica de cabeceamento e razoável capacidade de remate, útil no jogo de costas para a baliza segurando posses e aguardando aproximações dos seus companheiros, ficam boas sensações nesta sua meia-época de estreia em território europeu;
Wilfried Bony, pérola africana de 23 anos que o Vitesse foi buscar ao Sparta Praga na temporada passada, avançado-centro com mobilidade e instinto, fisicamente equilibrado e resistente – 1.82/80 -, facturou por 12 ocasiões e revelou-se como um dos elementos mais determinantes na boa campanha efectuada pela sua equipa nesta Eredivisie 2011/12 – dotado de capacidade técnica ao nível do remate com o seu pé direito, suficientemente virtuoso no drible e veloz na desmarcação, deixa apenas a dúvida se a nível da sua agilidade e incluído num contexto em que não lhe fosse dada tanta liberdade de acções, conseguiria demonstrar tanta preponderância como conseguiu demonstrar até agora;
Valeri Kazaishvili, georgiano de 19 anos, maioritariamente sobre a esquerda do ataque, colocando acelerações e apresentando virtuosismo no drible, cria desequilíbrios com facilidade, alternando movimentações em profundidade lateral com diagonais interiores em que tenta linhas de baliza para aplicar o remate – preferência pelo pé direito, mas conseguindo recorrer ao esquerdo – participou em poucos jogos esta temporada (4), mas deixou apontamentos técnicos relevantes que merecem atenção e acompanhamento durante os próximos tempos, assim lhe sejam dadas mais oportunidades para fazer crescer o seu futebol; Giorgi Chanturia, georgiano de 18 anos com passagem pelas escolas do Barcelona, o que lhe valeu o rótulo de «Messi Georgiano», aparecendo maioritariamente sobre a direita do ataque embora com versatilidade para pisar igualmente sobre a esquerda ou como 2º avançado, rápido e dotado de virtuosismo no drible, alterna movimentações em profundidade lateral para aplicar o cruzamento com procura de espaços centrais e linhas de baliza para fazer valer o seu bom remate de média distância – preferencialmente de pé esquerdo -, alcançando 4 golos e 3 assistências esta temporada, deve gerir melhor os seus «tiques de vedetismo» por forma a apresentar outra preponderância no jogo da equipa e evitar perder-se pelos meandros do futebol profissional.
holanda
 Equipa: NEC Nijmegen
 Posição: 8º: 45 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Médio.
 Detecções: Bram Nuytinck; Pavel Cmovs; Kevin Conboy; Lasse Schone; Melvin Platje; Leroy George; Género Zeefuik; Navarone Foor.
 
 
 
Short Notes: Com uma campanha interessante, ficando às portas da Europa nesta Eredivisie 2011/12, referência na equipa do NEC Nijemegen para as seguintes individualidades:
Bram Nuytinck, defesa-central de 21 anos, fisicamente disponível e resistente – 1.91/85 -, suficientemente veloz na reacção efectuando desarmes e intercepções providenciais, denotando domínio em situações aéreas, não apenas defensivas como ofensivas dando sequência de cabeça a lances de bola parada, consegue intrometer-se nas primeiras fases para saída organizada, procurando colocação de passes médios e longos ou arriscando situações de condução para depois aplicar a sua forte média-longa distância de pé esquerdo – deve, contudo, gerir melhor os seus índices de agressividade em determinadas abordagens defensivas por forma a evitar faltas desnecessárias ou riscos excessivos que acabam por ter influência na eficácia das suas acções;
Pavel Cmovs, defesa-central checo de 21 anos, fisicamente forte e resistente – 1.88/82 -, alia velocidade de reacção e capacidade no desarme com domínio aéreo e eficácia na marcação, participando também nos primeiros momentos de saída organizada da sua equipa procurando colocação de passes médios e longos ou arriscando situações de condução para criar superioridades, deve evitar algumas precipitações e distracções que por vezes acabam por influenciar a sua consistência e eficácia exibicionais;
Kevin Conboy, lateral-esquerdo dinamarquês-inglês de 24 anos que também pode pisar como defesa-central, fisicamente resistente e disponível – 1.85/77 – para fazer o vaivém constante sobre o flanco, alia velocidade de reacção para conferir razoável eficácia no desarme em situações de um para um defensivas com rapidez na sua condução em progressão para fazer o acompanhamento ofensivo e aplicar a sua boa técnica de cruzamento ou remate de pé esquerdo – especialista na execução de lances de bola parada, possuindo ainda força de braços para colocar bolas longas para a área através de lançamentos de linha lateral, peca por nem sempre definir os seus tempos de abordagem de forma suficientemente satisfatória, assim como, por recorrer excessivamente à falta, reflectindo algumas carências posicionais do seu jogo defensivo;
Lasse Schone, médio-centro dinamarquês de 25 anos, com versatilidade para desdobrar com relativa facilidade na zona «10», conferindo dinâmica ao sector intermediário através da sua condução em progressão e visão no passe, inteligente nas suas movimentações sem bola, aproxima com frequências às zonas de decisão para atacar a baliza através do seu bom remate de média-distância com o pé direito ou para meter o último passe para os seus companheiros – especialista na execução de bolas paradas laterais ou centrais, fez 11 golos e 4 assistências, tornando-se um dos principais dinamizadores da boa campanha do NEC esta temporada;
Melvin Platje, avançado holandês de 23 anos, aparecendo em zonas mais centrais ou ligeiramente descaído sobre uma das faixas, fisicamente resistente – 1.77/79 -, confere dinâmica e versatilidade dentro do último terço, móvel e suficientemente rápido aparece com instinto em zonas de finalização denotando qualidade na execução ao nível do remate de pé direito – marcou 6 golos esta temporada mas deixou muitos outros por marcar, devendo encontrar um melhor equilíbrio dos seus índices de concentração e confiança materializando de forma mais consistente o potencial do seu jogo;
Leroy George, extremo-direito holandês de 24 anos com versatilidade para pisar igualmente sobre a esquerda, fisicamente disponível – 1.76/76 -, revela poder na colocação de acelerações e virtuosismo no drible para provocar desequilíbrios, alternando movimentações em que procura conferir profundidade lateral para depois aplicar a sua técnica de cruzamento/passe com diagonais interiores em que procura linhas de baliza para aplicar o seu remate – especialista na execução de lances de bola parada centrais ou laterais a jeito do seu pé esquerdo, fez 5 golos e 3 assistências esta temporada, ainda que por vezes tenha deixado a sensação de que o seu futebol poderia ser mais consistente;
Género Zeefuik, avançado-centro de 21 anos formado no PSV, fisicamente resistente – 1.78/82 – e móvel, alia velocidade e instinto para aparecer em zonas de finalização e aplicar a sua técnica de remate com o pé direito – executante de lances de bola parada, fez 6 golos e 6 assistências esta temporada, mas revelou igualmente dificuldades na manutenção dos seus índices de consistência exibicional e níveis de confiança, factos que têm influência numa materialização mais efectiva e regular do potencial do seu jogo; Navarone Foor, holandês-indonésio de 20 anos, aparecendo maioritariamente sobre a direita do ataque embora com versatilidade para disfarçar-se de criativo ou sair da faixa esquerda, tecnicamente capaz ao nível do seu virtuosismo no drible e cruzamento, coloca acelerações e criar desequilíbrios, proporcionando versatilidade e dinamismo às movimentações ofensivas da equipa dentro do último terço – fisicamente frágil, nem sempre consegue colocar potência suficiente nas suas acções, devendo melhorar os seus índices de consistência ao nível do remate – executa maioritariamente com esquerdo mas consegue recorrer igualmente ao pé direito – e evitar perdas de objectividade no seu jogo que resultam de alguns adornos excessivos e tomadas de decisão pouco eficazes.
holanda
 Equipa: RKC Waalwijk
 Posição: 9º: 45 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Baixo.
 Detecções: Jeroen Zoet; Geoffrey Castillion; Krisztián Németh; Rick ten Voorde.
 
 
 
Short Notes: Recém-promovido, o RKC Waalwijk alcançou um meritório e interessante nono lugar final nesta Eredivisie 2011/12. Por entre as suas individualidades referência para:
Jeroen Zoet, guardião de 21 anos emprestado pelo PSV, controlando espacialmente a baliza – 1.89/76 -, dono de bons reflexos, competente a efectuar defesas com grau de resposta de média-alta dificuldade, denotando bom posicionamento e possuindo ainda comprimento de braços, impulsão e capacidade de reacção ao choque aéreo para dar resposta a bolas altas nas imediações da sua área, o internacional jovem holandês pode melhorar ao nível da gestão de algumas das suas decisões, assim como, evitar precipitações ou desconcentrações que embora momentâneas têm influência no grau de eficácia de algumas das suas acções;
Geoffrey Castillion, avançado-centro de 20 anos, formado nas escolas do AFC Ajax, destacando-se sobretudo pela sua presença – 1.91/78 – à qual consegue aliar velocidade e astúcia na desmarcação, capacidade técnica no remate – o direito é o seu pé preferido mas consegue recorrer ao esquerdo – e suficiente competência no seu jogo de costas para a baliza, segurando posses para a aproximação de companheiros ou ganhando disputas aéreas – marcou 6 golos esta temporada mas deixou muitos outros por marcar, evidenciando alguma dificuldade na manutenção dos seus índices de concentração e consistência exibicionais por forma a conseguir materializar mais regularmente alguns dos bons apontamentos do seu futebol;
Krisztián Németh, húngaro de 23 anos, ocupando a posição de 2º avançado ou ligeiramente descaído sobre a direita, móvel e suficientemente rápido, procura alternar movimentos dentro-fora para dar largura ao ataque com outros fora-dentro em que procura zonas de remate e finalização, conferindo dinâmica ofensiva ao último terço – com uma carreira extremamente irregular até ao momento em que tem evidenciado grandes dificuldades a nível da manutenção dos seus índices de consistência exibicional, deixou algum ar da sua graça na segunda metade desta temporada quando chegou por empréstimo do Olympiacos, alcançando 3 golos e 4 assistências; e por fim Rick ten Voorde, avançado-centro de 20 anos que também pode aparecer descaído sobre a esquerda do ataque e que se destaca por conseguir aliar aos seus um metro e oitenta e sete centímetros boa velocidade na desmarcação e instinto para em zona de finalização denotar qualidade de execução, aplicando a sua boa técnica de cabeceamento ou remate com o pé direito – marcou por 9 ocasiões esta temporada e deixou pormenores suficientes que carecem de acompanhamento e monitorização na expectativa de que os consiga materializar de uma forma mais consistente e regular durante os próximos tempos.
holanda
 Equipa: Roda JC
 Posição: 10º: 44 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Baixo.
 Detecções: Jagos Vukovic; Ruud Vormer; Guus Hupperts.
 
 
 
Short Notes: Depois do 6º lugar alcançado na temporada anterior, o Roda JC quedou-se pelo décimo lugar final nesta Eredivisie 2011/12. Por entre as suas individualidades referência a:
Jagos Vukovic, emprestado pelo PSV Eindhoven, defesa central sérvio com versatilidade para pisar na zona de médio-defensivo, destaca-se sobretudo pela sua estampa física intimidante – 1.95/93 -, o que lhe permite controlar situações aéreas com relativa facilidade, sendo essencialmente jogador de marcação e não apresentando grandes argumentos técnicos, revela algumas dificuldades ao nível da reacção quando defronta adversários com baixo centro de gravidade e dotados de drible/aceleração curta, assim como, algumas falhas de concentração que devem ser corrigidas nos próximos tempos;
Ruud Vormer 23 anos, ocupando as zonas de «6» ou «8», competente em tarefas de recuperação e com capacidade para colocar os primeiros passes da transição com bola, fisicamente resistente sem ser forte – 1.78/76 -, suficientemente veloz na reacção e denotando visão para através de movimentações sem bola conseguir aparecer com eficácia nas imediações do último terço, Vormer constitui-se também como especialista na execução de bolas paradas centrais ou laterais a jeito do seu pé direito; e por fim Guus Hupperts, sem ser presença regular na equipa ao longo da temporada, deixou alguns pormenores interessantes, sobre a direita como extremo ou médio, fisicamente disponível e resistente – 1.84 -, consegue aliar suficiente virtuosismo no drible, astúcia nas suas movimentações e capacidade de aceleração para criar desequilíbrios, aparecendo dentro do último terço onde alterna diagonais interiores para visar linhas de remate – preferência pelo direito mas conseguindo recorrer ao pé esquerdo -, com movimentações de profundidade lateral para aplicar a sua técnica de cruzamento.
holanda
 Equipa: FC Utrecht
 Posição: 11º: 43 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Baixo a Médio.
 Detecções: Mark van der Maarel; Dave Bulthuis; Rodney Sneijder; Anouar Kali; Yoashiaki Takagi; Lars Veldwijk; Tommy Oar; Leon de Kogel; Alexander Gerndt.
 
 
 
Short Notes: Efectuando uma temporada tranquila e dentro do expectável, o FC Utrecht ficou a apenas um ponto de conseguir atingir o «Top Ten» final desta Eredivisie 2011/12. Clube habituado a revelar bons valores, referência para as seguintes individualidades:
Mark van der Maarel, lateral-direito de 22 anos, fisicamente disponível sem ser forte – 1.77/ 74 – no vaivém constante sobre o flanco, patenteia em momento defensivo bons argumentos ao nível da sua velocidade de reacção e eficácia no desarme, para já em momento ofensivo denotar rapidez na sua condução em progressão e atingir a linha de fundo procurando aplicar a sua razoável técnica de cruzamento – defensivamente pode melhorar a sua consistência, evitando distracções momentâneas e melhorando os seus «timings» de abordagem a determinado tipo de lances;
Dave Bulthuis, lateral-esquerdo de 21 anos que também pode pisar como central, suficientemente eficaz no plano defensivo pela dimensão física que oferece – 1.90 – à qual alia razoável capacidade de reacção para entrar no desarme, evidencia maiores dificuldades no momento de acompanhamento ofensivo, principalmente por não apresentar grandes argumentos ao nível do seu virtuosismo no drible ou da sua consistência de cruzamento – aspecto muitas vezes disfarçado por arremessos de linha lateral longos para a área;
Rodney Sneijder, médio-centro/médio-interior esquerdo de 21 anos, vivendo muitas vezes na «sombra» do seu irmão Wesley, deixou esta temporada alguns sinais positivos para futura monitorização, tecnicamente capaz com um pé esquerdo calibrado que utiliza para colocar passes com visão, cruzamentos, executar lances de bola parada ou atacar a baliza através do seu remate de média-distância, conferindo dinâmica ao sector intermediário e criando desequilíbrios através do seu virtuosismo no drible ou qualidade da sua condução em progressão, peca por nem sempre apresentar os índices de agressividade e consistência ideais, materializando com maior frequência os bons apontamentos do seu jogo;
Anouar Kali, 20 anos, médio-defensivo marroquino-holandês que se desdobra com grande facilidade como médio-centro, fisicamente pouco resistente – 1.72/67 -, tem na agilidade e velocidade em momentos de transição as principais armas do seu jogo, virtudes às quais consegue aliar visão e capacidade ao nível do passe médio e longo com o seu pé esquerdo e inteligência nas suas movimentações sem bola para fazer aproximações às imediações da área contrária – por vezes ainda toma decisões pouco ponderadas e demasiado arriscadas, originando perdas de bola desnecessárias e exposição excessiva dos equilíbrios da equipa;
Yoashiaki Takagi, japonês de 19 anos, extremamente frágil fisicamente – 1.67/67 -, procura através do seu sentido de antecipação, agilidade, virtuosismo no drible e capacidade de aceleração criar desequilíbrios sobre uma das faixas, revelando, contudo, carências na colocação de agressividade e potência na execução;
Tommy Oar, australiano-espanhol criativo/interior-esquerdo de 20 anos, tecnicamente capaz no drible, remate e cruzamento com o seu pé esquerdo, especialista na execução de lances de bola parada, confere dinamismo ao jogo da equipa dentro do último terço, ainda que revele igualmente dificuldades na manutenção dos seus índices de regularidade e consistência exbicionais, factos que muitas vezes complicam uma materialização mais efectiva do seu potencial técnico;
Lars Veldwijk e Leon de Kogel, 20 anos, «noves de área», ambos fisicamente robustos – acima dos 1.90 -, com capacidade para conquistarem muitas bolas de costas para a baliza, revelando poder de remate, dimensão aérea e instinto para atacarem o golo, procuram atingir ainda patamares de confiança que permitam uma materialização efectiva dos respectivos potenciais, constituindo-se para já como dois bons projectos para futura monitorização; e por fim Alexander Gerndt, 25 anos, como avançado-centro ou descaindo ligeiramente sobre a direita do ataque, disponível e resistente – 1.84/80 -, especialista na execução de lances de bola parada, consegue aliar coordenação, capacidade técnica ao nível do seu remate de pé esquerdo, velocidade e qualidade de execução em situações de finalização – com 7 golos e 5 assistências foi um dos jogadores mais eficazes da turma de Utrecht ao longo desta Eredivisie 2011/12.
holanda
 Equipa: Heracles Almelo
 Posição: 12º: 40 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Baixo a Médio.
 Detecções: Ben Rienstra; Lerin Duarte; Marko Vejinovic; Willie Overtoom; Ninos Gouriye; Samuel Armenteros.
 
 
 
Short Notes: Fazendo um campeonato sem grandes exuberâncias mas dentro daquilo que seria expectável, o Heracles quedou-se pelo 12º lugar final nesta Eredivisie 2011/12. Por entre as suas individualidades referência para:
Ben Rienstra, defesa-central de 21 anos, formado no Ajax e com uma breve passagem pelo AZ, foi no Heracles que arranjou o seu espaço, suficientemente resistente sem ser imponente – 1.82/75 -, alia velocidade de reacção e agilidade para entrar no corte e conseguir desarmes providenciais, conjugando ainda capacidade para intrometer-se nas primeiras fases de saída organizada da sua equipa em que arrisca situações de condução em progressão ou colocação de passes médios e longos – sem domínio aéreo efectivo e a necessitar de encontrar um melhor equilíbrio dos seus índices de agressividade, nem sempre consegue apresentar uma consistência exibicional suficientemente satisfatória;
Lerin Duarte, médio versátil holandês de 21 anos, sobre o centro do meio-campo desdobrando facilmente como criativo ou saindo de uma das faixas, colocando acelerações, denotando capacidade a nível do passe curto e médio, assim como, na sua condução em progressão, confere agilidade aos processos de transição da equipa e aparece com frequência nas imediações das zonas de decisão para fazer a assistência ou atacar ele próprio a baliza através da sua média-distância de pé esquerdo – especialista na execução de bolas paradas laterais ou centrais, alcançou 4 golos e 4 assistências nesta Eredivisie 2011/12 mas pode apresentar outros argumentos ao nível da sua consistência exibicional, materializando com maior regularidade alguns dos bons apontamentos técnicos que o seu futebol transparece;
Marko Vejinovic, sérvio-holandês de 22 anos, médio-centro com versatilidade para desempenhar também as funções de criativo, fisicamente resistente sem ser forte – 1.86/70 -, dotado de boa capacidade técnica ao nível da sua condução em progressão, com visão e passe, confere dinâmica ao sector intermediário da sua equipa, dando critério os momentos de transição e fazendo aproximações às zonas de decisão com eficácia para efectuar a assistência ou atacar ele próprio a baliza através do seu bom remate de média distância – especialista na execução de lances de bola parada centrais ou laterais, preferencialmente a jeito do seu pé direito, acabou esta Eredivisie 2011/12 com o registo de 2 golos e 9 assistências, números alcançados apesar das lesões constantes que o afastaram dos relvados por treze ocasiões ao longo do campeonato;
Willie Overtoom, médio centro/criativo camaronês-holandês de 25 anos, o jogador mais eficaz do Heracles nas últimas temporadas – 9 golos e 7 assistências esta época -, tecnicamente capaz, especialista na execução de lances de bola parada centrais ou laterais, móvel e ágil, confere velocidade, qualidade e dinamismo ofensivo à equipa nas zonas de decisão, denotando poder de aceleração e virtuosismo no drible para criar desequilíbrios nas defensivas contrárias com relativa facilidade, atacando depois a baliza com o seu remate de pé direito ou colocando o último passe para assistir companheiros;
Ninos Gouriye, sírio-holandês de 21 anos, sobre a faixa direita como extremo mas com versatilidade para pisar igualmente sobre a esquerda ou como 2º avançado, colocando acelerações e aplicando o seu virtuosismo no drible, procura criar desequilíbrios e alternar movimentações em confere profundidade lateral para aplicar o cruzamento com diagonais interiores em que visa linhas de baliza para tentar o remate, preferencialmente com o seu pé direito – pese embora os bons apontamentos técnicos deixados ao longo da temporada, deve melhorar os índices de objectividade e consistência do seu jogo nos próximos tempos; e por fim Samuel Armenteros, sueco-cubano de 21 anos, como avançado-centro/2º avançado ou sobre uma das faixas, confere dinamismo, mobilidade e versatilidade ao último terço, tecnicamente capaz a nível do remate – pé esquerdo-, suficientemente virtuoso no drible, desmarca-se com velocidade e aparece com instinto em zonas de finalização denotando qualidade de execução no último momento – facturou por 4 ocasiões e fez 6 assistências esta temporada, deixando apontamentos de relevo para acompanhar durante os próximos tempos a fim de averiguar se consegue manter os seus índices de consistência exibicional.
holanda
 Equipa: NAC Breda
 Posição: 13º: 38 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Baixo a Médio.
 Detecções: Eric Botteghin; Nemanja Gudelj; Omer Bayram; Alex Schalk.
 
 
 
Short Notes: Igualando o seu registo na temporada anterior em que também se quedou pelo 13º lugar final, referência no NAC Breda para:
Eric Botteghin, ítalo-brasileiro de 24 anos, que pode actuar como defesa-central ou médio-defensivo, destacando-se pela sua estampa física – 1.93/86 -, poder de antecipação e posicionamento para alcançar o desarme simples ou a intercepção, presente no jogo aéreo, não apenas defensivo como ofensivo subindo até à área contrária para dar sequência a lances de bola parada e intrometendo-se nas primeiras fases de construção do jogo da equipa para saída organizada, deve, contudo, evitar distracções e precipitações em algumas das suas decisões e abordagens em que expõe em demasia o equilíbrio do último reduto;
Nemanja Gudelj, sérvio de 20 anos com versatilidade para actuar como interior direito ou «8» organizador, fisicamente resistente – 1.87/73 -, denotando poder de antecipação para efectuar desarmes simples ou intercepções, suficientemente veloz na reacção, capaz na sua condução em progressão e na colocação de passes médios e longos, confere poder de recuperação sem fazer com que a equipa perca demasiada rapidez e agilidade na transição seguinte, inteligente a movimentar-se e a fazer aproximações ofensivas sem bola, é ainda especialista na execução de lances de bola parada laterais – em que aplica a sua boa técnica de cruzamento – e centrais em que aplica a sua poderosa média-distância de pé direito;
Omer Bayram turco-holandês de 20 anos, actuando preferencialmente sobre a faixa esquerda do ataque mas com versatilidade para pisar também na direita, muito rápido e ágil, colocando acelerações e denotando virtuosismo no drible, movendo-se dentro do último terço e baralhando marcações através da alternância de movimentações em profundidade lateral para aplicar o cruzamento com diagonais interiores para visar linhas de ataque à baliza através do seu remate de pé esquerdo – nem sempre consegue apresentar índices de consistência suficientemente satisfatórios, assim como, denota algumas falhas de objectividade no seu jogo que resultam de uma fraca capacidade de decisão e de uma exploração excessiva do adorno em situações ofensivas de um para um; e por fim Alex Schalk, 19 anos, como 2º avançado ou sobre uma das faixas, rápido, colocando acelerações, suficientemente virtuoso no drible, consegue ser competente na criação de desequilíbrios, revelando ainda astúcia e velocidade na desmarcação para aparecer em zonas de finalização e executar com qualidade – destro, utiliza o esquerdo em execuções mais simples – devendo, contudo, encontrar um melhor equilíbrio dos seus índices de consistência e regularidade exibicional por forma a garantir outros padrões de materialização ao bom potencial técnico que possui.
holanda
 Equipa: FC Groningen
 Posição: 14º: 37 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Médio.
 Detecções: Virgil van Dijk; Leandro Bacuna; Tim Sparv; David Teixeira; Hyun-Jun Suk.
 
 
 
Short Notes: Depois do 5º lugar alcançado na temporada passada, o FC Groningen não foi além do 14º posto final nesta Eredivisie 2011/12, constituindo-se como uma das maiores desilusões do campeonato. Ainda assim e tendo em conta o bom potencial técnico de algumas das suas individualidades, destaque para:
Virgin van Dijk, defesa-central holandês de 20 anos, que também pode pisar sobre a direita da defesa, fisicamente disponível e resistente – 1.93 -, dominando o jogo aéreo e com boa velocidade de reacção tendo em conta o seu perfil físico, denotando poder na marcação e suficiente sentido de antecipação para efectuar intercepções e desarmes simples, pela relva ou na vertical, participando nos primeiros momentos de construção em saída organizada da sua equipa colocando passes médios e longos e sendo ainda especialista na execução de lances de bola parada centrais em que aplica a sua poderosa média-distância de pé direito, o defesa holandês deve evitar algumas precipitações e distracções com influência nos índices de consistência do seu jogo;
Leandro Bacuna, 20 anos, aliando disponibilidade e robustez física – 1.87/77 – com velocidade e coordenação de movimentos interessante para o seu perfil, dotado de versatilidade para funcionar como extremo direito, lateral direito ou ainda como espécie de segundo avançado, destro mas conseguindo recorrer ao pé esquerdo, dono de boa capacidade técnica no cruzamento, drible, rápida condução em progressão e remate de média-distância, especialista na execução de lances de bola parada, o jovem internacional holandês peca apenas por nem sempre apresentar os índices de consistência e regularidade adequados a uma materialização mais efectiva de todo o potencial técnico que denota;
Tim Sparv finlandês de 25 anos, médio-centro esquerdino com versatilidade para desempenhar as funções de médio-defensivo ou defesa-central, fisicamente resistente e disponível – 1.94/85 -, dono de uma boa condução em progressão, visão e capacidade de colocação de passes médios e longos, com presença aérea, dando poder não apenas em momento defensivo como ofensivo em subidas para dar sequência a lances de bola parada, capaz na antecipação efectuando intercepções ou desarmes simples, peca apenas por nem sempre colocar os índices de intensidade ideais por forma a garantir uma dinâmica intermediária mais efectiva aos processos de transição da sua equipa;
David Teixeira, 21 anos, avançado uruguaio contratado pelo FC Groningen ao Defensor Sporting e visto por alguns como um possível sucessor de Luis Suárez, destaca-se sobretudo pela dinâmica ofensiva que oferece ao último terço, movendo-se na frente de ataque com rapidez e astúcia, determinado e fisicamente resistente – 1.81/82 -, suficientemente capaz no drible, revelando boa técnica de cabeceamento e qualidade de execução em momentos de finalização, deve, contudo, melhorar os índices de consistência do seu remate – preferência pelo direito, mas conseguindo recorrer ao esquerdo para dar sequência a situações mais simples -, assim como, os seus índices de concentração – marcou 8 golos esta temporada, mas deixou também muitos por marcar; e por fim o sul-coreano Hyun-Jun Suk, 20 anos, avançado-centro sul-coreano, muitas vezes desperdiçado sobre a direita como espécie de extremo-direito onde o seu perfil não encaixa de forma tão adequada, destaca-se por conseguir aliar à sua estampa física – 1.89 -, boa coordenação de movimentos e velocidade, tornando-se perigoso em zonas de finalização em que revela qualidade de execução, útil no jogo de costas para a baliza, proporcionando dimensão aérea ao futebol atacante da equipa, suficientemente capaz no drible e dono de boa técnica de remate – consegue executar com os dois pés -, peca apenas por nem sempre apresentar índices de regularidade exibicional mais consistentes.
holanda
 Equipa: ADO Den Haag
 Posição: 15º: 32 Pts.
 Índice de Potencial Técnico: Baixo a Médio.
 Detecções: Kenneth Omeruo; Lex Immers; Tjaronn Chery; Jens Toornstra; Mike van Duinen; John Verhoek; Wesley Verhoek; Charlton Vicento.
 
 
 
Short Notes: Com uma campanha a roçar a desilusão, o ADO Den Haag não foi além do 15º posto final nesta Eredivisie 2011/12, sujeitando-se até ao fim à possibilidade de ter que disputar o «play-out» e lutar pela permanência no escalão máximo do futebol holandês. Pese embora o fracasso desta temporada, referência para as seguintes individualidades:
Kenneth Omeruo, nigeriano de 19 anos emprestado pelo Chelsea FC, actuando sobre a direita ou na zona central da defesa, fisicamente disponível e resistente – 1.85/67 -, rápido na reacção e agressivo na abordagem conseguindo desarmes providenciais , peca apenas por cometer – em virtude da sua imaturidade – precipitações nas suas decisões sob pressão e distracções momentâneas que acabam por se revelar fatais naquilo que é a manutenção dos seus índices de consistência exibicional;
Lex Immers, 25 anos, fisicamente resistente – 1.87/78 -, garante dimensão aérea, capacidade de recuperação e transporte ao meio-campo da sua equipa, desdobrando facilmente da posição de médio-centro para médio-ofensivo, aparecendo no apoio ao ataque, dotado de boa condução em progressão e visão a nível do passe médio e longo, confere dinâmica aos processos intermédios e consegue através das suas movimentações sem bola fazer aproximações eficazes às imediações da baliza adversária para aplicar o seu remate de pé direito – acabou esta temporada com o registo de 8 golos e 3 assistências;
Tjaronn Chery, extremo-direito de 23 anos com versatilidade para pisar também sobre a esquerda ou disfarçar-se de 2º avançado, móvel, rápido e ágil, consegue criar desequilíbrios com relativa facilidade utilizando o seu virtuosismo no drible e capacidade de aceleração, alternando movimentações em que confere profundidade lateral para aplicar a sua técnica de cruzamento, com movimentações em diagonal interior para procurar linhas de baliza e aplicar o seu razoavelmente bem calibrado remate de média-distância de pé esquerdo, qualidades técnicas que também faz uso na execução de lances de bola parada centrais e laterais – alcançando 2 golos e 6 assistências esta temporada, pecou por algumas vezes exagerar nos adornos e perder objectividade no seu jogo, assim como, por nem sempre conseguir manter índices de consistência e regularidade exibicional suficientemente satisfatórios;
Jens Toornstra, médio-centro de 23 anos com versatilidade para pisar também na zona «10» e disfarçar-se de criativo ou ainda como médio-interior sobre uma das faixas, suficientemente veloz e capaz na sua condução em progressão, jogando a 1-2 toques, denotando capacidade técnica no passe e cruzamento, assim como, no remate com o seu pé direito – virtudes que utiliza na execução de lances de bola parada laterais e centrais -, consegue através da inteligência das suas movimentações sem bola antecipar e aparecer com frequência em situação de finalização ou último passe – com 3 golos e 5 assistências, ficou a ideia que precisa de encontrar um melhor equilíbrio dos seus índices de agressividade ao longo dos 90 minutos por forma a materializar de uma forma mais consistente os bons apontamentos que o seu futebol denota;
Mike van Duinen, 20 anos, aliando disponibilidade física – 1.85 – com velocidade na desmarcação e capacidade técnica para aparecer com qualidade em zonas de finalização, foi entrando aos poucos na equipa e deixou boas sensações, alternando entre um estilo mais posicional de «nº 9» com outro em que descaído maioritariamente sobre a esquerda procurou depois a baliza através de diagonais interiores para aplicar o remate – marcou apenas 3 golos ao longo da temporada em boa parte devido a uma lesão de média duração que o afastou da competição durante dez jornadas;
John Verhoek , 23 anos, no ADO Den Haag em regime de empréstimo por parte do Rennes, dentro de um estilo de «9 de área», fisicamente forte e resistente – 1.88/85 -, útil no jogo de costas para a baliza, denota capacidade técnica a nível do cabeceamento em zona de finalização e consegue com a sua presença abrir espaços para os seus companheiros – marcou 5 golos esta temporada mas deixou alguns outros por marcar, revelando algumas carências ao nível da consistência do seu remate, aspecto que deve trabalhar nos próximos tempos; Wesley Verhoek, 25 anos, iniciou a temporada no ADO Den Haag mas transferiu-se na reabertura do mercado para o FC Twente, actuando maioritariamente sobre a direita do ataque, como extremo mas disfarçando-se muitas vezes de avançado, aliando disponibilidade física – 1.87/84 – com velocidade e virtuosismo no drible para criar desequilíbrios, alterna diagonais interiores em que procura zonas de remate e finalização para aplicar a sua forte média-distância de pé direito com movimentações em que procura conferir profundidade lateral para aplicar os seus argumentos a nível do cruzamento, virtudes técnicas que utiliza igualmente na execução de lances de bola parada centrais ou laterais; e por fim Charlton Vicento, 21 anos, extremo tipicamente holandês, aparecendo maioritariamente sobre a esquerda embora com versatilidade para pisar igualmente na direita ou ainda disfarçar-se como espécie de segundo avançado, fisicamente equilibrado – 1.81/75, denotando capacidade de aceleração e virtuosismo no drible, consegue criar desequilíbrios nas defensivas adversárias com relativa facilidade, alternando movimentações em profundidade lateral para tirar o cruzamento com diagonais interiores para procurar aplicar o seu remate de pé esquerdo – marcou 7 golos e fez 3 assistências, tornando-se um dos elementos mais eficazes do Den Haag ao longo da temporada, ainda que em muitas situações tenha evidenciado igualmente excessos nos adornos das suas jogadas e consequente perda de objectividade no seu futebol, aspecto que deve trabalhar por forma a conseguir materializar consistentemente no futuro o seu bom potencial técnico.
holanda
 Equipa: VVV-Venlo
 Posição: 16º: 31 Pts. (PO)
 Índice de Potencial Técnico: Baixo a Médio.
 Detecções: Maya Yoshida; Danny Holla; Bryan Linssen; Michael Uchebo; Steven Berghuis; Yannick Wildschut; Uche Nwofor.
 
 
 
Short Notes: Com 7 derrotas consecutivas em fase decisiva da temporada – entre a Jornada 25 e 31 -, o VVV-Venlo ficou sujeito à disputa do «play-out» para discutir a sua permanência no escalão máximo do futebol holandês. Por entre as suas individualidades referência para:
Maya Yoshida, defesa-central japonês de 23 anos, fisicamente disponível – 1.89/78 -, consegue aliar presença, velocidade de reacção, agilidade e sentido de antecipação, garantindo bravura e determinação ao último reduto, efectua desarmes e intercepções de vital importância para a sua equipa, presente do ponto de vista aéreo ainda que não seja poderoso e suficientemente competente na sua participação em primeiras fases de saída organizada, peca apenas por algumas distracções e precipitações nas suas decisões sob pressão com impacto na consistência e eficácia de algumas das suas abordagens;
Danny Holla, emprestado pelo FC Groningen, é um médio-defensivo que desdobra com relativa facilidade como médio-centro, fisicamente disponível – 1.81/74 -, alia competência em tarefas de recuperação com visão e capacidade a nível do passe médio e longo, especialista na execução de lances de bola parada laterais ou centrais a jeito do seu pé direito, consegue conferir dinâmica e combatividade suficientes ao sector intermédio da sua equipa;
Bryan Linssen, médio ofensivo de 21 anos que pode pisar na zona de «criativo» ou aparecer sobre uma das faixas, veloz e conseguindo colocar acelerações, especialista na execução de lances de bola parada, utilizando o seu virtuosismo no drible para criar desequilíbrios ou razoável remate de média distância com o pé direito para atacar a baliza, peca por nem sempre conseguir manter os seus índices de consistência e regularidade exibicionais devidamente calibrados;
Michel Uchebo, avançado-centro nigeriano de 21 anos, com características físicas – 1.94/ 85 – típicas de «9 de área», consegue aliar coordenação e velocidade suficientes – tendo em conta o seu perfil – para actuar num registo mais fixo ou mais solto – aparecendo descaído sobre uma faixa -, conquistando disputas aéreas e fazendo jogo de costas para a baliza, ainda que por vezes seja algo trapalhão e pouco esclarecido, devendo melhorar o seu momento de remate e eficácia em zona de finalização por forma a conseguir materializar consistentemente nos próximos tempos – 3 golos esta temporada, mas deixou muitos por marcar – algumas singularidades do seu futebol;
Steven Berghuis, esquerdino de 20 anos, emprestado pelo FC Twente, como criativo ou sobre uma das faixas, alternando movimentações em que procura conferir profundidade lateral para aplicar a sua técnica de cruzamento, com diagonais interiores em que procuras linhas de baliza para aplicar o seu remate, veloz e suficientemente virtuoso no drible, consegue provocar desequilíbrios, especialista na execução de bolas paradas a jeito do seu pé esquerdo, fisicamente equilibrado sem ser forte – 1.82/75 -, revela dificuldades em manter os seus índices de regularidade e eficácia exibicionais em níveis suficientemente satisfatórios, aspecto em que deverá melhorar por forma a conseguir materializar consistentemente alguns dos bons apontamentos técnicos que o seu jogo deixa transparecer;
Yannick Wildschut, extremo/2º avançado de 20 anos, saindo maioritariamente da esquerda, opta com frequência por diagonais interiores procurando zonas centrais e linhas de baliza para atacar o golo através do seu bom remate de média distância – preferência pelo pé direito mas consegue executar também com o esquerdo -, revelando igualmente capacidade na colocação de acelerações e virtuosismo no drible para provocar desequilíbrios já dentro do último terço, conferindo, dessa forma, versatilidade e dinamismo às movimentações ofensivas da equipa sem perder demasiada verticalidade – com 7 golos e 6 assistências foi um dos elementos mais eficazes do Venlo ao longo da temporada; Uche Nwofor, avançado nigeriano de 20 anos, fisicamente equilibrado e resistente – 1.83/73 -, rápido na desmarcação, com capacidade técnica a nível do remate – preferência pelo pé direito, mas conseguindo recorrer ao esquerdo -, proporciona dinâmica dentro do último terço alternando entre um estilo mais fixo, dando maiores referências, com outro mais solto, procurando descair sobre uma das faixas para depois procurar espaços centrais e linhas de baliza – marcou 4 golos esta temporada mas deixou muitos outros por marcar, revelando dificuldades em manter os seus índices de confiança, concentração e consistência devidamente estabilizados.
holanda
 Equipa: De Graafschap
 Posição: 17º: 24 (PO)
 Índice de Potencial Técnico: Baixo.
 Detecções: Michael de Leeuw; Rydell Poepon; Anco Jansen; Soufian El Hassnaoui.
 
 
 
Short Notes: Sem grandes argumentos para melhor, o de Graafschap quedou-se pela 17º posição final nesta Eredivisie 2011/12, ficando, por isso, sujeito à disputa do «play-out» para discutir a sua permanência. Por entre as suas individualidades, referência para:
Michael de Leeuw, 25 anos, ocupando a zona de «10» mas disfarçando-se muitas vezes como segundo-avançado, denotando capacidade técnica e dinamismo para dentro do último terço provocar desequilíbrios, assistindo companheiros ou procurando linhas de remate e zonas de finalização para fazer o golo, foi um dos elementos mais eficazes do De Graafschap esta temporada alcançando 10 golos e 6 assistências, pecando apenas por nem sempre apresentar o equilíbrio ideal a nível dos seus índices de agressividade e concentração por forma a materializar com maior consistência alguns bons apontamentos que o seu futebol deixa transparecer;
Anco Jansen, 23 anos, surgindo caído sobre uma das faixas ou como segundo avançado para depois aplicar maioritariamente diagonais interiores e procurar linhas de remate/baliza para fazer uso do seu bem calibrado remate de média distância – preferência pelo pé direito mas conseguindo recorrer ao esquerdo -, capaz na criação de desequilíbrios, veloz, fisicamente equilibrado – 1.83/75 -, executante de bolas paradas laterais e centrais, confere dinâmica ao futebol ofensivo da equipa dentro do último terço, ainda que por vezes exagere em adornos – com consequente perda de objectividade – e revele alguma dificuldade em manter os seus índices de consistência exibicional quando os desafios lhe pedem maior eficácia e pragmatismo nas suas acções;
Rydell Poepon, avançado de 24 anos, fisicamente equilibrado e resistente – 1.81/79 -, denotando instinto em zonas de finalização, capacidade técnica no remate – preferência pelo pé direito, utilizando o esquerdo em execução simples – e velocidade suficiente nas suas desmarcações, consegue actuar dentro de um estilo mais fixo, dando maiores referências, com outro mais solto em que procura através do jogo de costas para a baliza ou arriscando iniciativas individuais «fazer jogo» e provocar desequilíbrios – marcou 7 golos e fez 7 assistências ao longo desta temporada, mas nem sempre conseguiu manter o seu equilíbrio a nível de concentração, confiança e consistência em registos suficientemente satisfatórios; e por fim Soufian El Hassnaoui, extremo-esquerdo/segundo-avançado marroquino-holandês de 22 anos, tecnicamente capaz na criação de desequilíbrios, veloz na desmarcação, fisicamente equilibrado e resistente – 1.83/75 -, confere dinamismo e versatilidade às movimentações ofensivas da equipa dentro do último terço, alternando diagonais exteriores para dar largura ao ataque com diagonais interiores em que procura linhas de baliza e zonas de finalização para aplicar a sua técnica de remate – destro, marcou 8 golos esta temporada, mas revelou igualmente dificuldades em manter padrões de agressividade, concentração e consistência suficientemente satisfatórios.
holanda
 Equipa: Excelsior Roterdão
 Posição: 18º: 19 Pts. (D)
 Índice de Potencial Técnico: Baixo.
 Detecções: Bart Schenkeveld; Kevin Jansen; Roland Alberg; Mitchell te Vrede; Daren Maatsen.
 
 
 
Short Notes: O eterno «lanterna-vermelha» desta Eredivisie 2011/12, o Excelsior Roterdão, não foi além dos 19 pontos na campeonato, acabando despromovido directamente para a Eerste Divisie. Pese embora a má campanha efectuada pela equipa, referência a alguns nomes que se podem constituir como boas «contratações de repescagem»:
Bart Schenkeveld, 20 anos, lateral-direito que também pode ocupar a posição de defesa-central, emprestado pelo Feyenoord, fisicamente resistente e disponível – 1.84/72 – para fazer o vaivém constante sobre o flanco, dotado de rápida condução em progressão e suficiente velocidade de reacção para entrar no desarme em situações defensivas, consegue manter um bom equilíbrio defesa-ataque-defesa, ainda que algumas distracções e questões de posicionamento muitas vezes o façam ter dificuldade em apresentar os índices de consistência exibicional ideais;
Kevin Jansen, médio-centro de 19 anos, fisicamente resistente – 1.83 -, dotado de boa condução em progressão e sentido de antecipação, confere harmonia aos processos de transição da equipa, denotando ainda capacidade na colocação de passes médios e longos com visão e técnica de cruzamento, que utiliza para executar lances de bola parada laterais, destro mas conseguindo recorrer ao esquerdo, deve melhorar os índices de consistência do seu remate de média-distância, tirando maior partido das suas aproximações ao último terço, assim como, encontrar um melhor equilíbrio de concentração e agressividade na sua abordagem ao jogo por forma a conseguir materializar com maior regularidade o seu potencial;
Roland Alberg criativo de 21 anos, tecnicamente capaz, conseguindo executar com os dois pés – preferência pelo direito -, denotando virtuosidade no drible, velocidade e competência na criação de desequilíbrios, executante de lances de bola parada centrais e laterais, disfarça-se muitas vezes como espécie de segundo-avançado revelando qualidade de execução em situação de finalização, pecando apenas por nem sempre apresentar a objectividade e índices de consistência e regularidade ideais que o permitam materializar de forma mais consistente os bons apontamentos do seu futebol;
Mitchell te Vrede, ponta-de-lança de 20 anos, fisicamente resistente – 1.91 -, útil e inteligente no jogo de costas para a baliza em que segura posses e aguarda a aproximação dos seus companheiros para «fazer jogo», deve melhorar os índices de consistência do seu remate, assim como, o equilíbrio dos seus níveis de concentração por forma a ganhar outra preponderância na materialização efectiva do seu jogo – leia-se aproveitamento de linhas de remate e situações de finalização; e por fim Daren Maatsen, extremo-direito de 21 anos com versatilidade para pisar também como segundo avançado, fisicamente esguio – 1.85 – mas suficientemente resistente, alterna movimentos em que confere profundidade lateral com diagonais interiores em que procura zonas de remate e finalização, veloz, dotado de virtuosismo no drible e capacidade no cruzamento, virtudes às quais alia força de braços para colocar bolas longas na área, Maatsen torna-se muitas vezes inconsequente por exagerar no adorno das suas iniciativas individuais e perder alguma objectividade no seu futebol, assim como , por nem sempre conseguir manter índices de consistência e regularidade exibicional suficientemente satisfatórios.


Translate »